Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Doações aumentam e Brasil bate recorde de transplantes

Arquivo/Agência Brasil

A corrente pró-doações e campanhas de conscientização têm relação direta com o aumento no números relacionados a transplantes no Brasil. Dados divulgados pelo governo federal na quinta-feira (27) mostram o crescimento, entre janeiro e junho deste ano, da quantidade de doadores efetivos no País: passou de 1.653 para 1.765. O aumento de 7% contribui para a ampliação dos procedimentos, que melhoram a sobrevida dos pacientes.

Segundo o Ministério da Saúde, a projeção é que 26,4 mil órgãos e tecidos sejam transplantados no País até o fim deste ano. Assim, a lista de espera fica 6% menor entre 2017 e 2018, passando de 44 mil pacientes para 41,2 mil. A quantidade de operações baterá o recorde nos procedimentos de fígado, pulmão, coração e medula óssea. Isso porque, até dezembro, o número de doadores efetivos deve chegar a 3.530, o maior desde 2010.

Números de transplantes no Brasil

Investimento 
Cerca de 96% das cirurgias é viabilizada pelo Sistema Nacional de Transplantes (SNT) do Sistema Único de Saúde (SUS). A ampliação e consolidação da rede de transplantes nos últimos 10 anos foi possível graças aos investimentos no setor que dobraram de volume no período. Neste ano, o orçamento para a área é de R$ 1,036 bilhão.

Com isso, foi possível capacitar 23 mil profissionais de saúde em doação e transplante de órgãos. Ao todo, o País conta com 27 centrais estaduais de transplantes e 504 centros de transplantes e 1.157 equipes habilitadas. “O SUS é exemplo de eficácia, eficiência e de retorno à população brasileira”, afirmou o ministro interino da Saúde, Adeilson Cavalcante.

Campanhas
Para incentivar a doação de órgãos, o Ministério da Saúde lançou uma nova campanha de mobilização. Entre os temas abordados, a necessidade de comunicação formal. Essa parte é muito importante; afinal, após a morte encefálica, apenas os familiares podem autorizar a retirada de partes do corpo para transplante. Ou seja, não adianta deixar nenhum documento por escrito, autorização etc.

As famílias e profissionais da saúde também devem estar munidos de conhecimento e informação acerca da doação para salvar a vida de outras pessoas. É para aumentar esse conhecimento que a Lei nº 11.584 de 2007 instituiu o Dia Nacional da Doação de Órgãos em 27 de setembro. Além de oficializar a data, o texto da lei também determina que nas duas semanas anteriores o País vai promover diversas campanhas de estímulo à doação de órgãos.

As campanhas surtem efeito nos números referentes à doação e transplante de órgãos, segundo a chefe do Núcleo do Organização de Procura de Órgãos do Distrito Federal (OPO/DF), Viviane Marçal. “Tanto as equipes médicas quanto a população lembram-se mais do assunto quando ele é tema de campanhas ou aparece em novelas”, explicou.

Consciência
Segundo Viviane Marçal, a população possui cada vez mais consciência sobre a importância da doação de órgãos, mas ainda não é o suficiente. O número de pacientes à espera de um órgão ainda é muito grande. Hoje, os profissionais de saúde têm um papel essencial para reduzir essa fila. “Se a família de um potencial doador pergunta ao médico se ele acha que devem doar os órgãos e ele diz ‘não doem’, a tendência é que isso aconteça. O ‘sim’ do profissional, tanto quanto o da família, é que vai ajudar a salvar vidas”, disse. As informações são do Governo Federal

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm