Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Saulo promove novo álbum “O Azul e o Sol”

O subtítulo “álbum de textos, livro de música” do trabalho mais recente do cantor e compositor Saulo, O azul e o sol, deixa bem clara a proposta inicial deste terceiro disco solo do ex-vocalista da banda Eva. A maioria das 16 canções inéditas do repertório nasceram a partir de textos do próprio Saulo e de outros compositores. As melodias vieram depois. Com elas, a segunda proposta do álbum: exaltar a alegria, a positividade e, por que não, a amada Bahia do artista.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Gravado em Salvador, com a participação de nomes importantes ou promissores da cultura baiana – a cantora Danny Nascimento, o grupo Skanibais, o músico Luciano Calazans e o cantor Lazzo Matumbi –, O azul e o sol não se distancia do axé, mas também não se prende a rótulos. Tal qual seu criador. “Sou do axé, mas sou ainda mais da música. Onde ela me levar, vou de olhos fechados e coração aberto”, brinca o cantor, antes de também tentar explicar a importância da Boa Terra para sua musicalidade: “A Bahia tem um jeito… uma poesia natural, não sei… é um estado rico e inspirador. Poético como minha cidade natal, Barreiras, no interior. De uma certa maneira, esse e todos os meus discos são sempre uma homenagem a ela”.

A influência baiana no disco já fica evidenciada no primeiro single, Deixa lá, inspirado – segundo Saulo – na musicalidade do Ilê Ayê, grupo e bloco com trajetórias fortemente ligadas ao carnaval de Salvador nos últimos 40 anos. “A canção tem a clave do Ilê e sua letra é assinada pelo compositor Dom Chicla, um grande criador de nosso estado. É Bahia na veia”, brinca Saulo. Para completar a “baianidade” da canção, o video da mesma foi gravado de maneira despretensiosa durante um dos ensaios de verão do projeto Saulo, Som e Sol, num fim de tarde no Porto de Salvador.

O single e o álbum foram lançados digitalmente pela Universal Music no final de janeiro. A versão física do disco também já está nas lojas. Sucessor de Saulo ao vivo (2013) e Baiuno (2015), O azul e o sol foi produzido por Adriano Gaiarsa, instrumentista da banda de Saulo, numa realização da Rua 15 Produções, produtora do cantor baiano. Assim como nos trabalhos anteriores supra-citados, Saulo permite que o axé embale as letras repletas de “sorrisos e boas impressões”, com pitadas de reggae, folk e música africana. Um projeto com a cara do cantor? “Não tenho esta certeza. Nem eu sei qual é minha cara. Na verdade, tento ser muitos. Mas sempre com ‘verdade’. Crio com a alma”, filosofa.

Trabalho em grupo
Com a alma e com amigos. Saulo costuma dizer que acredita “na força do coletivo”. Seja para compor, seja nos ensaios ou até mesmo num carinhoso encontro com fãs para a primeira audição deste último trabalho, o artista parece se alimentar do afeto. E fazer dessa troca de energia matéria-prima para o trabalho. O visível entrosamento com os músicos de sua banda exemplifica essa “equação”. “Estamos sempre na estrada, que é dura. Somos um time e um precisa da energia do outro”. Saulo também enaltece a parceria com Adriano, produtor do álbum. “Tocamos juntos há muito tempo. Já virou aquele lance de confiança. Tenho muita gratidão pelo trabalho dele”.

Com os outros artistas, não é diferente. É bastante frequente a participação de Saulo em shows de grandes amigos e vice-versa. E o cantor não disfarça a enorme admiração por muitos deles, como Gilberto Gil e Luiz Caldas. Chega a venerá-los. A lista de artistas com quem já dividiu palcos é gigantesca. Mas Saulo não esconde com quem o entrosamento é maior. “Todos são especiais. E falo isso de coração. Sou grato a todos, mas acho que há uma onda incrivelmente boa no palco com Ivete, Levi (Jammil), Tomate e Luiz Caldas”, revela.

Depois de cumprir uma sempre extensa agenda de shows no Carnaval e, posteriormente, tirar alguns dias de folga para “descansar um pouquinho e planejar a sequência”, Saulo retornou à estrada em março. A meta é viajar pelo Brasil ao longo de 2017 com o show baseado no novo álbum. “É algo natural, acho que a turnê fecha o ciclo do disco. Além de dar sentido a ele”. Paralelamente, o artista continua apresentando o espetáculo infantil Pé de maravilha, que traz algumas canções do projeto Casa Amarela, gravado com a amiga Ivete Sangalo. “A gente adora esse filho. Um dia talvez possamos fazer outro disco infantil”. Com Portal Sucesso

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm