Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Próximo presidente receberá BNDES ágil e com recursos em caixa, diz ministro

Tânia Rêgo/Agência Brasil

O próximo presidente da República receberá o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) mais ágil e adequado às características atuais da economia. Segundo o presidente do banco, Dyogo Oliveira, a instituição vem passando por mudanças internas que ficarão como legado positivo ao novo governo.

“O BNDES estará, ao final deste ano, preparado para conviver com a nova realidade da economia brasileira. Uma economia que tem juros baixos e que está retomando o investimento. O BNDES está se preparando, inclusive internamente, com mudanças de processos, agilização das linhas de crédito, criação de vários novos produtos, mais adequados para cada tipo de empresa. Esse é o BNDES que será deixado de legado para o próximo presidente, com capacidade financeira, com recursos em caixa, com capacidade de emprestar e agilidade para fazer as suas operações”, disse Dyogo.

O ministro participou de evento, ontem, na sede do banco, no centro do Rio, quando foram anunciadas linhas de financiamento para energias renováveis, principalmente eólica e solar, no valor total de R$ 2,2 bilhões, sendo R$ 228 milhões provenientes do Fundo Nacional sobre Mudanças Climáticas.

Participaram do lançamento o presidente Michel Temer, os ministros do Meio Ambiente, Edson Duarte; do Planejamento, Esteves Pedro Colnago; e de Minas e Energia, Moreira Franco; além do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, e do prefeito, Marcelo Crivella.

Em seu discurso, o presidente Temer ressaltou a importância da energia renovável para o país e citou avanços ambientais em seu governo. Ele lembrou também sua passagem pela Assembleia-Geral da ONU, no início da semana.

Pessoas físicas
O presidente do banco explicou que os recursos se dividem em duas linhas, já disponíveis nas agências bancárias. “Uma mais voltada às empresas, com recursos do BNDES. E outra mais voltada às famílias e às microempresas, com recursos do fundo do clima. As linhas estão disponíveis na rede bancária. No caso da linha para empresas, já está operacional em toda a rede bancária. A outra linha, para as pessoas físicas e jurídicas, nos bancos públicos”, disse Dyogo.

A linha de crédito do fundo do clima oferecerá uma redução da taxa de juros e será oferecida a pessoas físicas e empresas. A taxa será de 4% anuais para quem tem renda anual de até R$ 90 mil e de 4,5% para quem tem renda maior. Haverá carência de três a 24 meses, com prazo de amortização de até 12 anos. Os financiamentos serão concretizados via Caixa, por meio de suas 5 mil agências espalhadas pelo país.

Painéis solares
A expectativa do governo é chegar à instalação de 18 mil painéis solares fotovoltaicos, principalmente em pequenas propriedades nas zonas rurais, a um custo entre R$ 15 mil a R$ 25 mil cada, além de projetos de energia eólica.

A linha principal do BNDES, para fontes renováveis, com dotação inicial de R$ 2 bilhões, por meio do Finame, é dirigida especialmente para condomínios, cooperativas, empresas e produtores rurais, com prazo de pagamento em até 120 meses e carência de até 24 meses. A contratação estará disponível online. Com Agência Brasil

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm