Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Ministro da Saúde propõe cooperação internacional no combate à tuberculose

Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Organização das Nações Unidas (ONU) realizou, ontem (26), a primeira reunião de alto nível sobre tuberculose, com o objetivo de acelerar as ações de combate à infecção que mais mata no mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no ano passado, a tuberculose foi responsável por 1,6 milhão de mortes em nível global, e um quarto da população mundial pode desenvolver a doença.

Em seu último relatório, a ONU alertou que os países não têm feito o suficiente para combater a doença. No encontro de ontem, em Nova York, representantes de países com altas taxas de tuberculose aprovaram por aclamação a declaração política governamental “Unidos pelo fim da tuberculose: uma resposta global a uma epidemia global”. Esse documento ressalta que a tuberculose é problema de saúde pública e reforça o comprometimento dos estados para atingir a meta de eliminação da doença até 2030, conforme estabelecem os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, discursou como representante da Iniciativa da Política Externa e Saúde Global, que integra Brasil, África do Sul, França, Indonésia, Noruega, Senegal e Tailândia. Criada em 2007, a iniciativa tem o objetivo de incluir a saúde como pauta prioritária na política externa dos países.

Em sua fala, Occhi destacou que a tuberculose é um dos maiores “riscos transfronteiriços” e que o enfrentamento à doença não é possível sem cooperação internacional. O ministro brasileiro enfatizou a importância do investimento em pesquisa e inovação para produção de novos medicamentos.

Occhi defendeu ainda o desenvolvimento de tratamentos mais simples e rápidos, além de uma vacina eficaz que seja acessível a toda a população. “Não podemos deixar nenhuma pessoa afetada pela tuberculose para trás. É preciso proteger os mais vulneráveis, é preciso prevenir, diagnosticar e tratar todas as pessoas afetadas pela doença de forma universal.”

Na terça (25), houve um encontro prévio para entre integrantes do Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) para discutir formas de cooperação para acelerar as pesquisas sobre a infecção. Juntos, os países do Brics respondem por 40% dos casos de tuberculose no mundo. O Brasil tem um terço de toda a carga de tuberculose das Américas e cerca de 34% dos casos de coinfecção TB-HIV.

Representantes da sociedade civil, especialistas e integrantes da Rede Brasileira de Pesquisas em Tuberculose (Rede-TB) também participaram da reunião de alto nível. A delegação brasileira está na expectativa de que os países do Brics anunciem aporte significativo de recursos para pesquisa em tuberculose.

A meta da ONU é que o investimento global para prevenção, diagnóstico e tratamento da tuberculose alcance até 2022 o volume de US$ 13 bilhões por ano. Para pesquisa global, o objetivo é chegar a US$ 2 bilhões de investimento, para cobrir a lacuna atual estimada em US$ 1,3 bilhão. Com Agência Brasil

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm