Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Eficiência energética exigirá especialização de trabalhadores, diz Senai


O Brasil deve ter, em 2030, cerca de 452 mil empregos ligados à eficiência energética, segundo estimativa Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). O cálculo foi feito a partir dos compromissos assumidos pelo país na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP 21). Atualmente, aproximadamente 136 mil pessoas trabalham em ocupações para melhor aproveitamento energético e geração elétrica por fontes eólicas, fotovoltaicas ou de biomassa.

O crescimento das fontes renováveis já tem sido observado nos últimos anos. Entre 2012 e 2018, o potencial instalado de energia fotovoltaica passou de 7,2 megawatts (MW) para 1,3 gigawats (GW), de acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mencionados pela CNI. O potencial da energia eólica passou de 2,5 GW para 13,1 GW no mesmo período, segundo dados da Associação Brasileira de Energia Eólica citados no levantamento.

Especialização e novas ocupações
Segundo o gerente educação do Senai nacional, Felipe Morgado, as novas demandas do setor exigem novos conhecimentos para trabalhar na área. “Um aprendizado que a gente teve com a Alemanha é que temos que especializar as profissões tradicionais. Então, os eletricistas, os profissionais de eletroeletrônica, devem fazer especializações para que possam trabalhar na área de eficiência energética e de energias renováveis”, destacou.

Além da especialização em ocupações existentes, o desenvolvimento tecnológico traz ainda vagas em áreas que até pouco tempo não existiam. O Senai estima, por exemplo, que em cinco anos, 10% das empresas do setor de energia solar vão precisar de instaladores de painéis fotovoltaicos. Em 10 anos, a demanda deve partir de até 30% dos empreendimentos do ramo.

Salários melhores
Posições que, de acordo com Morgado, abrem as portas para melhores salários e aumentam as chances de se colocar no mercado de trabalho. “As pessoas que vão se especializando, principalmente nas áreas de eficiência energética e energias renováveis, têm um ganho significativo no salário e ganham novas oportunidades de emprego”, enfatizou.

Entre os egressos dos cursos profissionalizantes para carreiras ligadas a energias renováveis, o índice de empregabilidade chega a 70%. De acordo com o levantamento do Senai, entre os mais de dois terços de ex-alunos que estão trabalhando, 53,6% recebem mais do que dois salários-mínimos, sendo que 20,9% ganham mais do que cinco salários.

Apesar de algumas tecnologias se concentrarem em áreas específicas, como a energia eólica no Nordeste, Morgado ressaltou que outras, como a energia solar, estão presentes em qualquer parte do território nacional. “A energia fotovoltaica está em todo lugar: na casa das pessoas, nas indústrias, nas fazendas. Então, é importante teresse profissional bem qualificado para garantir que não exista nenhum problema na instalação e para fazer a manutenção desses equipamentos”.

O Senai oferece 24 cursos em energias renováveis em 12 estados. Com Agência Brasil

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm