Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Papa faz oração na Lituânia em memória das vítimas da ocupação soviética

Vatican News

A oração no Museu das Ocupações e Lutas pela Liberdade, em Vilnius, conclui a visita de dois dias do Papa Francisco à Lituânia, primeira etapa de sua viagem aos países bálticos.

Vítimas do Gueto
Após deixar a Catedral de Kaunas, onde se encontrou com os religiosos, o Pontífice voltou a Vilnius e, a caminho do Museu, fez uma visita ao Monumento pelas Vítimas do Gueto, onde se deteve em oração silenciosa.

Dos cerca de 95 mil residentes judeus (quase a metade da população) e as 110 sinagogas ativas antes da ocupação nazista, hoje existem quatro mil judeus e somente duas sinagogas. O dia 23 de Setembro de 1943, quando foi fechado o Gueto de Vilnius, foi declarado o Dia do genocídio hebraico na Lituânia.

Escritório da KGB
Do Monumento, o Pontífice prosseguiu até o Museu das Ocupações. O local é o símbolo da dominação soviética, e na época foi sede dos escritórios da KGB e, sobretudo, no sótão, das prisões em que eram torturados e detidos os opositores do regime.

Precedentemente, foi a Gestapo a ocupar o edifício entre 1941 e 1944 com finalidades análogas.

Segundo estimativas, mais de mil pessoas perderam a vida no prédio entre 1944 e os anos 60.

Para recordar esta parte da história, em 1992 o edifício foi reformado para se tornar um Museu em memória das vítimas. Ali dentro, é possível visitar cerca de 20 celas, das quais as duas de isolamento são as mais impressionantes, com 60 cm quadrados cada uma.

Oração
O Papa visitou as celas 9 e 11, onde acendeu uma vela, e a sala das execuções. Além das autoridades, o Pontífice foi acolhido por um bispo católico da Companhia de Jesus, sobrevivente da perseguição e por um descendente de deportados. No pátio externo, Francisco depositou flores e pronunciou a seguinte oração:

«Meu Deus, meu Deus, porque Me abandonastes?» (Mt 27, 46).
O vosso grito, Senhor, não pára de ressoar, ecoando dentro destas paredes que recordam os sofrimentos vividos por tantos filhos deste povo. Lituanos e originários de diferentes nações sofreram na sua carne o delírio de omnipotência daqueles que tudo pretendiam controlar.

No vosso grito, Senhor, ecoa o grito do inocente que se une à vossa voz e se eleva para o céu. É a Sexta-feira Santa do sofrimento e da amargura, da desolação e da impotência, da crueldade e do absurdo que viveu este povo lituano face à ambição desenfreada que endurece e cega o coração.

Neste lugar da memória, nós Vos imploramos, Senhor, que o vosso grito nos mantenha despertos. Que o vosso grito, Senhor, nos liberte da doença espiritual que sempre nos tenta como povo: esquecer-nos dos nossos pais, de quanto viveram e sofreram.

Que, no vosso grito e na vida dos nossos pais que tanto sofreram, possamos encontrar a coragem de nos comprometermos, com determinação, no presente e no futuro; que aquele grito seja estímulo para não nos adequarmos às modas do momento, aos slogans simplificadores e a toda a tentativa de reduzir e tirar a qualquer pessoa a dignidade de que Vós a revestistes.

Senhor, que a Lituânia seja farol de esperança; seja terra da memória operosa, que renova os compromissos contra toda a injustiça. Que promova esforços criativos na defesa dos direitos de todas as pessoas, especialmente das mais indefesas e vulneráveis. E que seja mestra na reconciliação e harmonização das diferenças.

Senhor, não permitais que sejamos surdos ao grito de todos aqueles que hoje continuam a erguer a voz para o céu. As informações são do Vatican News

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm