Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Luta Antimanicomial garante direitos para pessoas com sofrimento mental e mudança no tratamento


O município de Pará de Minas realizou durante três dias desta semana diversos eventos para lembrar o Dia Nacional do Movimento Antimanicomial ou Luta Antimanicomial, nesta sexta-feira, 18 de maio. A data relembra um Encontro dos Trabalhadores de Saúde Mental ocorrido em Bauru.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter


Foram anos de luta por mudanças nas condições de tratamentos dos pacientes com transtorno mental no Brasil. A partir daí criou-se uma nova política de atenção à saúde mental.


Há muitos anos a pessoa com algum transtorno mental era marginalizada, taxada de louca e submetida à internação compulsória em manicômios. Essa realidade mudou para tratamentos especializados.


A Secretaria Municipal de Saúde promoveu várias atividades esta semana com a participação de diversos equipamentos como o Centro de Referência em Saúde Mental (CERSAM) e o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD).


Nesta sexta-feira (18) foi realizada uma mobilização na praça Padre José Pereira Coelho, Centro, para divulgar os serviços de saúde mental disponibilizados pelo município e uma exposição dos trabalhos dos pacientes atendidos pela rede.


De acordo com Waldemar Bicalho Campos, coordenador da Saúde Mental, Álcool e outras Drogas da Secretaria Municipal de Saúde, o principal objetivo é mostrar para toda a população os direitos que as pessoas com sofrimento mental tem e que são assegurados por lei:


Waldemar Bicalho Campos
lutaantimanicomial2018waldemarbicalho


Para a psicóloga Maria Saraiva, a história mostra que os internamentos em manicômios não tinham bons resultados. Atualmente os especialistas adotam a política de tratar as pessoas para que possam conviver bem em sociedade:


Maria Saraiva
lutaantimanicomial2018marinasaraiva


O município de Barbacena é uma das mais conhecidas em Minas Gerais pela existência de manicômios. A cidade contava com sete instituições. O Hospital Colônia, por exemplo, recebeu milhares de pacientes e o cenário era assustador. Os fatos que ocorreram com milhares de pessoas no local foi caracterizado como holocausto brasileiro e retratado em livro pela jornalista mineira, Daniela Arbex.

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm