Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Órgãos definem atuação conjunta para atestar procedência dos produtos da agricultura familiar

queijo

Os queijos à base de leite de cabra, de fabricação artesanal do senhor Luiz Carlos de Oliveira, em Barbacena, no Território Vertentes, conquistaram os empórios e tradicionais redes de supermercados de Belo Horizonte (Território Metropolitano) e Juiz de Fora (Território Mata). O destaque vai para a versão de fabricação com leite de cabra do queijo Boursin, de origem francesa, temperado com ervas e condimentos.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

A abertura de mercado no segmento gourmet só foi possível graças às boas práticas adotadas pelo produtor. O primeiro passo dado por Oliveira foi aprimorar técnicas e adequar as instalações do mini laticínio para obter a certificação.

“Busquei orientação no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) quanto ao processo para obter a certificação de agricultor familiar. Também aprendi novas técnicas de fabricação, cuidados e manejo dos animais para protegê-los de doenças e parasitas”, conta o produtor. Seu laticínio produz cerca de 150 litros de leite de cabra por dia.

Em Itaguara, no Território Oeste, os doces de frutas, as compotas e as geleias do rancho da dona Ana Maria Martins conquistaram o paladar, especialmente as prateleiras de sobremesas dos restaurantes da região. Segundo ela, o curso de fruticultura oferecido pelo Senar Minas contribuiu para aprimorar a receita de fabricação da família, além de diversificar o cultivo no pomar.

Já as técnicas e os cuidados obedecidos pela produtora foram introduzidos na produção dos doces com a orientação do IMA e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater/MG). “Nossos doces são padronizados e cem por cento artesanal. Com isso, conquistamos os mercados de Belo Horizonte, Salvador e até do Rio Grande do Norte”, comemora. Dona Ana Maria Martins produz em média 1.500 potes de doces por mês.

O senhor Luiz e a dona Ana Maria integram o grupo das 224 agroindústrias cadastradas pelo IMA. Tanto eles, quanto outros novos agricultores vão ser beneficiados com o acordo de cooperação técnica entre a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda) e o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). Para tanto, a tarefa de financiar e monitorar ficou a cargo da Seda. O IMA vai prestar a assistência técnica.

“A iniciativa vai garantir assistência técnica aos agricultores familiares para ampliar o acesso à comercialização dos produtos da agricultura familiar. O resultado é a geração de renda e a promoção da segurança alimentar nutricional”, afirma o superintendente de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável da Seda, Leonardo Koury Martins.

A previsão dos órgãos é realizar, somente neste ano, cerca de mil vistorias nas agroindústrias familiares, incluindo a rede pública estadual, por meio do Programa Sanitaristas Mirins. O projeto tem o objetivo de contribuir para a formação de cidadãos capazes de compreenderem o meio rural e a importância como produtor de alimentos para a sociedade.

Atuação do IMA
O Programa de Apoio à Regularização da Agroindústria Familiar de Pequeno Porte é desenvolvido pelo IMA desde 2011. A iniciativa está amparada pela Lei Estadual 19.476, conhecida como Lei da Agricultura Familiar.

Esta lei permite que estes estabelecimentos, após assinarem um termo de compromisso com o IMA, promovam a sua adequação às normas sanitárias legais num período de dois anos, com acompanhamento e orientação de técnicos do instituto.

Atuação da Seda
A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário (Seda) tem em sua estrutura a Diretoria de Agroindústria Familiar, que promove e apoia ações para a agregação de valor dos produtos da agricultura familiar.

Por meio da ação orçamentária “Apoio à construção, adequação e regularização de agroindústrias familiares”, a Seda financia ações de educação sanitária em agroindústrias familiares e escolas da rede pública de ensino.

Onde buscar orientação

O agricultor interessado em receber qualquer orientação ou capacitação deve procurar a unidade regional do IMA – http://www.ima.mg.gov.br/enderecos – mais próxima. As unidades regionais de vigilância sanitária, assim como a Emater, também estão credenciadas para auxiliar o agricultor.

Outro meio de contato é com o setor de vigilância sanitária da Secretaria de Estado de Saúde, pelo telefone (31) 3916-0438 e e-mail: gva.svs@saude.mg.gov.br. Com Agência Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm