Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Venezuela participa de reunião da OEA sobre a crise no país

Paola de Orte/Agência Brasil

A Venezuela decidiu participar hoje (31), em Washington, da reunião de chanceleres da Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre a crise no país. O governo de Nicolás Maduro havia anunciado, no dia 28 de abril, que deixaria a entidade, mas o processo de saída pode demorar até dois anos. Com a presença da Venezuela, todos os 34 países membros da OEA participam da reunião.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Do lado de fora do prédio da OEA, diversos manifestantes protestaram contra o governo Maduro. A ativista de direitos humanos venezuelana Anabel Navarro disse que não aprova a repressão que está acontecendo no seu país, onde seu pai terminou morrendo por causa da falta de medicamentos, depois de ficar dois meses sem acesso a um remédio cardíaco. “Isso acontece todos os dias, não é normal”. Ela falou que espera que a reunião de hoje resulte em propostas concretas para resolver a crise no país, como o comprometimento com novas eleições.

Já o norte-americano David Card protestava contra a reunião. Ele estava entre um grupo menor de manifestantes, não venezuelanos, que se colocava a favor do governo de Nicolás Maduro. “O governo progressista da Venezuela está sob ataque dos Estados Unidos e da OEA”, disse ele. Segundo ele, a reunião vai piorar a situação da população. “Eu apoio totalmente o governo da Venezuela, eles fizeram muitas coisas boas pela população, como aumentar a educação, hospitais e alfabetização”. Sobre o acesso à saúde, ele disse que as dificuldades existentes, como a falta de remédios, são por causa de interesses financeiros que não querem que o governo tenha sucesso.

Grupo de contato
Uma das propostas para a reunião de hoje é criar um “grupo de contato” com a participação de países capazes de mediar a crise da Venezuela. A proposta precisa da aprovação de dois terços dos membros para passar.

Um dos possíveis textos a serem votados seria apresentado pelo Peru, Canadá, México, Estados Unidos e Panamá, e, além do grupo de contato, pediria a libertação de presos políticos, a fixação de um calendário eleitoral e o respeito à separação de poderes no país.

A representação de Antigua e Barbuda também ficou de apresentar um texto, porém com condenações mais brandas ao governo venezuelano e não incluindo a criação do grupo de contato. A expectativa é que se encontre um texto consensual entre os países, que possa ser aprovado ainda hoje. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm