Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Desemprego fica estável em 18,6% na região metropolitana de São Paulo

A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo ficou estável ao passar de 18,5% em março para 18,6% em abril, segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) feita mensalmente pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Fundação Seade) e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgada nesta quarta (31), na capital paulista.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Segundo os dados, o contingente de desempregados foi calculado em 2,088 mil pessoas, 22 mil a mais do que no mês anterior. O número é decorrente do crescimento do nível de ocupação, com a geração de 37 mil postos de trabalho (0,4%), insuficiente para absorver o aumento da População Economicamente Ativa (PEA), em 59 mil pessoas, o que equivale a 0,5%.

Os dados mostram que, em abril, o nível de ocupação cresceu 0,4% e o contingente de ocupados foi estimado em 9.139 mil pessoas. O resultado ocorreu em função do aumento de empregados no setor de serviços (1,1%, com geração de 59 mil postos de trabalho), na indústria de transformação (3,3%, o que equivale a 42 mil postos de trabalho a mais), na construção (3,4%, com mais 20 mil postos de trabalho). No comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas houve queda de 4,8% com a eliminação 84 mil postos de trabalho.

A pesquisa mostrou ainda que o número de assalariados aumentou em 0,4%. No setor privado houve aumento do assalariamento sem carteira assinada (0,4%) e ficou estável o número de assalariados com carteira. O contingente de empregados domésticos aumentou 2,1% e o de autônomos em 1,6%. De acordo com a PED, entre fevereiro e março, o rendimento médio real dos ocupados caiu 2,2%, passando a equivaler a R$ 1.931,00 e o rendimento dos assalariados caiu 1,3%, equivalendo a R$ 1.992,00.

O responsável pela pesquisa no Dieese, César Andaku, explicou que a estabilidade da taxa de desemprego, de certa forma pode ser creditada a um efeito sazonal do segundo trimestre, que tende a estabilizar, conforme foi visto nos anos anteriores, apesar da crise. “Quando analisamos os setores, já esperávamos uma redução no comércio, movimento típico para o período, e os outros setores muito voláteis. Alguns melhoram e no mês seguinte pioram, um claro efeito da crise e da instabilidade”.

Quando analisados os últimos 12 meses, a taxa de desemprego na região metropolitana da cidade, em abril deste ano, foi maior do que a verificada em abril do ano passado (16,8%). O contingente de desempregados aumentou em 220 mil pessoas, devido à eliminação de 113 mil postos de trabalho (-1,2%) e ao aumento da força de trabalho da região, com a entrada de 107 mil pessoas no mercado de trabalho (1,0%).

Segundo os dados, em relação a julho do ano passado, o nível de ocupação diminuiu 1,2%, em função das reduções na indústria de transformação (menos 63 mil postos ou -4,6%), nos serviços (menos 49 mil postos de trabalho, ou -0,9%) e na construção (-17 mil, ou -2,7%). Com relação ao comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas, houve geração de 35 mil postos de trabalho, ou mais 2,2%. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm