Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Queda dos investimentos continua a puxar PIB

industria_motos

Os investimentos na economia, que são um importante indicador para a capacidade produtiva futura do país, continuam em queda e representam um dos principais fatores a puxar para baixo o Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Os dados das Contas Nacionais Trimestrais, divulgados nesta quarta (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que, no terceiro trimestre, a Formação Bruta de Capital Fixo (que são os investimentos) recuou 3,1%. Nos últimos 12 meses, o índice acumulou queda de 13,5%.

“Vimos um recuo importante dos investimentos em função da queda nas importações de bens de capital (máquinas e equipamentos), o que tem a ver com as expectativas e com o aumento dos juros reais, o que reflete no crédito. E a gente continuou tendo desempenho negativo da construção civil, que também impacta negativamente nos investimentos”, afirmou a coordenadora das Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis.

Ela destacou que, no terceiro trimestre, os serviços também continuam puxando para baixo o PIB por seu grande peso na economia. “Os serviços relacionados à indústria tiveram as maiores quedas, as partes de transportes e comércio foram as maiores quedas dentro dos serviços”, disse.

No caso do consumo das famílias, a retração nos últimos 12 meses alcançou 5,2%. “A gente continuou tendo indicadores ruins no mercado de trabalho, a inflação arrefeceu, mas continua alta, o crédito para pessoas físicas está apresentando taxas reais negativas, já que os juros continuam altos. Tudo isso afeta negativamente o consumo das famílias”, disse a pesquisadora.

Contas nacionais
O PIB fechou o terceiro trimestre do ano com queda de 0,8% em relação ao trimestre anterior. Com isso, o país registra o sétimo trimestre seguido de retração da economia. No resultado acumulado do ano até setembro, o PIB apresentou recuo de 4% em relação a igual período de 2015, maior queda para esse período desde o início da série em 1996. Nos últimos 12 meses, a retração alcançou 4,4%.

Na análise dos subsetores da economia, a agropecuária teve retração de 1,4% no período, a indústria caiu 1,3% e o setor de serviços registrou queda de 0,6%. Os dados do IBGE mostram ainda que o consumo das famílias caiu 0,6% e o do governo, 0,3%. No setor externo, as exportações de bens e serviços caíram 2,8% e as importações recuaram 3,1%.

A coordenadora das Contas Nacionais ressaltou que a economia brasileira está tendo taxas negativas há sete trimestres consecutivos, ou seja, desde o começo do ano passado. “Em 2014, a gente tinha a indústria em queda e os serviços e a agropecuária ainda subindo. O consumo das famílias também crescia e tem papel relevante no PIB. Em 2015, a queda se disseminou pela economia, mas a agropecuária ainda continuava com crescimento. Agora em 2016, todas as grandes atividades econômicas, tanto a agropecuária quanto a indústria e os serviços, estão em queda. A agropecuária foi influenciada pelas quebras de safra por causa do clima desfavorável”. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm