Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

PF conduz deputado do Tocantins para depor em nova fase da Operação Acrônimo

policia_federal1a

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta (30) a 12ª fase da Operação Acrônimo, iniciada em 2015 para investigar um esquema de lavagem de dinheiro em campanhas eleitorais, envolvendo gráficas e agências de comunicação. Os alvos desta nova etapa são, segundo as autoridades policiais, suspeitos de fraudar licitações do Detran de Tocantins

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Mandados de condução coercitiva (quando a pessoa é conduzida para prestar depoimentos e liberada em seguida) e de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Tocantins e Brasília. Uma decisão judicial impede a PF de fornecer mais detalhes sobre a operação.

O deputado estadual Eduardo Siqueira (DEM) é um dos investigados levados para a Superintendência da PF a fim de prestar depoimento. Policiais federais chegaram a ir à Assembleia Legislativa de Tocantins, mas Siqueira foi encontrado em sua casa, no começo da manhã, onde eles apreenderam um computador e documentos. Até perto do meio-dia, o deputado continuava depondo, acompanhado pelo seu advogado. A assessoria do parlamentar informou à Agência Brasil que o mandado judicial não especificava o motivo da condução, nem a que inquérito ele se refere. E acrescentou que o parlamentar está tranquilo e disposto a contribuir com as investigações.

Siqueira foi citado nas primeiras fases da Operação Acrônimo pelo empresário Benedito Oliveira, que fez um acordo de delação premiada com a Justiça e afirmou ter pago propina ao deputado, ainda na época em que o pai dele, José Wilson Siqueira Campos, era governador de Tocantins. Segundo a assessoria de Siqueira, Bené teria citado uma quantia de cerca de R$ 600 mil, divididas entre o deputado e o ex-diretor do Detran, coronel Julio Cesar Mamede, alvo de outro mandado de condução coercitiva cumprido hoje. Na época em que a delação veio a público, Siqueira garantiu que nem ele, nem nenhum assessor recebeu, em seu nome, qualquer vantagem.

Deflagrada em maio de 2015, as investigações que resultaram na Operação Acrônimo começaram com a apreensão de R$ 113 mil em uma aeronave que pousou no Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitscheck. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm