Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Sindicalista atribui possível falta de milho a ato irresponsável do governo federal

milho
No começo deste ano a ex-ministra da Agricultura, Kátia Abreu, autorizou a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a lançar um edital de leilão de meio milhão de toneladas de milho.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Na época ela justificou a medida dizendo que houve um forte aumento nos preços e manter os estoques custava muito caro. A expectativa era de que os leilões feitos pela Conab servissem para ajustar os preços.

O milho é uma matéria prima essencial na produção de ração para o setor de aves, suínos e bovinos. O agronegócio é um dos grandes pilares da economia do país e precisa de uma atenção especial.

Mas, a postura adotada trouxe preocupação a Eugênio Mendes Diniz, presidente do Sindicato Rural Patronal de Pará de Minas. Segundo ele, o governo da presidente Dilma Rousseff, que foi afastada do cargo, praticamente acabou com o estoque de milho.

O sindicalista classifica como irresponsável a atitude adotada e alerta que o momento é preocupante. A falta de milho no mercado poderá resultar no aumento drástico dos custos bancados pelos produtores rurais, inclusive de leite:
eugdin_milh

Eugênio Mendes Diniz
eugdin_milh1

Ele disse ainda que a situação poderá afetar muito a região de Pará de Minas, pois o agronegócio é um dos setores mais fortes da economia do município. A medida foi classificada como irresponsável e acabou com a credibilidade do país:

Eugênio Mendes Diniz
eugdin_milh2

O novo ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse que a Conab vai vender mais milho de seus estoques para minimizar a alta dos preços do cereal no mercado doméstico, que encareceu a produção de carnes suína e de frango pelas indústrias do país. O volume de milho a ser ofertado ainda não foi definido.

Tanto que na quarta-feira (25), com o objetivo de reduzir o preço do milho, o Conselho Interministerial de Estoques Públicos de Alimentos (Ciep) aprovou a venda direta de 160 mil toneladas de milho, com limite mensal de seis toneladas por produtor. De acordo com o Ministério da Agricultura, a venda direta dos estoques públicos do grão vai beneficiar principalmente pequenos criadores das regiões Sul e Nordeste, que usam o milho na alimentação dos animais.

Os criadores compram o produto nos balcões da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) pelo preço médio de mercado na região. Atualmente, a Conab tem 902 mil toneladas do grão armazenado.

Além do milho, o Ciep também autorizou a venda 15,6 toneladas de farinha de mandioca e de 6,2 toneladas de fécula de mandioca. Esses produtos foram comprados no ano passado pelo governo, por meio de Aquisição do Governo Federal (AGF), para regular o preço de mercado.

A resolução também estabelece os preços de liberação de estoques de produtos como milho em grão, arroz em casca, café arábica e outros produtos. Na prática, se cotação de mercado estiver acima desses valores, o governo fica autorizado a vender os estoques. Os valores constam na medida publicada na quarta (25) no Diário Oficial da União.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm