Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Safra mineira de café deve alcançar 28,5 milhões de sacas neste ano

cafe
A safra mineira de café deve atingir 28,5 milhões de sacas, representando 57% da produção nacional. Dentre os estados produtores, Minas Gerais foi o que apresentou o crescimento mais significativo. Em relação à safra do ano passado, o aumento é de 27,8% pautado, principalmente, pelo crescimento da produção nas regiões do Cerrado Mineiro e Sul do Estado. A safra brasileira deve ficar em 49,7 milhões, com aumento de 14,9% em relação à safra anterior.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Os números fazem parte do Segundo Levantamento de Safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), anunciado dia 24 de maio, considerado o Dia Nacional do Café. Realizado em parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), na Cidade Administrativa, é a primeira vez que o anúncio de estimativa nacional de safra é realizado em Minas, principal estado produtor de café do país.

Bom desempenho
Em Minas Gerais, a área total de café em produção deve ultrapassar um milhão de hectares, superior em 4,04% em comparação à safra passada e a produtividade média está estimada em 28,27 sacas por hectare, índice 22,82% acima do resultado obtido na safra 2015.

As condições climáticas favoráveis, a bienalidade positiva no estado (que é a característica da cultura cafeeira de alternar safras altas e baixas), o aumento do uso da tecnologia, além da incorporação de novas áreas produtivas são alguns dos fatores que contribuíram para o bom desempenho das lavouras mineiras.

Na avaliação do secretário de Agricultura, João Cruz, a safra mineira atinge um volume expressivo, após dois danos de baixa, e essa recuperação é fundamental. “Estamos sinalizando para o mercado internacional que temos condições de garantir o abastecimento em níveis mundiais e oferecendo produção de qualidade”, afirma.

O café é o principal produto da pauta de exportação do agronegócio do estado, respondendo por 50,3% do valor exportado, totalizando US$ 3,7 bilhões. Para o presidente interino da Conab, Igo dos Santos Nascimento, essa recuperação é fundamental na medida em que implica em melhoria de renda do produtor rural, além de promover a dinamização de toda a economia, devido à importância do café para o estado.

Metodologia
A Conab realiza quatro levantamentos da safra de café ao longo do ano. O primeiro foi divulgado em janeiro, período de pós-florada, quando a estimativa de colheita ficou entre 49,13 milhões e 51,94 milhões de sacas de café beneficiado. O relatório desta terça-feira se baseia no período de pré-colheita e os dados indicam informações como estimativas de produção, área plantada e produtividade.

O próximo levantamento está previsto para agosto e traça um panorama da cafeicultura nacional em plena colheita. E o quarto e último levantamento, previsto para dezembro, considera o período pós-colheita de 2016.

Inclusão Digital de Cafeicultores
A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-MG) apresentou o projeto Inclusão Digital de Cafeicultores. Em 14 municípios das regiões produtoras do Sul de Minas, Zona da Mata e Vale do Jequitinhonha, cafeicultores familiares estão aprendendo a utilizar o computador para gerenciar as atividades no campo, enviar e-mails e acessar informações de mercado.

Segundo o presidente da empresa, Glênio Martins, o mercado do café é muito dinâmico e os cafeicultores precisam de informações de qualidade e em tempo hábil para evitar prejuízos. “Todo o resultado de melhora da safra traduz o esforço de ação coordenada e consolidada dos órgãos públicos”, avalia. Neste semestre, 60 produtores participam dos cursos de introdução à informática e sustentabilidade, sem registros de evasão e a participação efetiva de jovens e mulheres.

Melhoramento Genético
A Empresa de Pesquisa Agropecuária (Epamig) fez a apresentação das 15 cultivares desenvolvidas ao longo de quatro décadas, dentro do Programa de Melhoramento Genético do Cafeeiro.

Essas cultivares se diferenciam quanto ao porte, vigor vegetativo, resistência a pragas e doenças, coloração dos grãos, produtividade e qualidade do produto final. De acordo com o Presidente Rui Verneque, até 2017, a empresa se preparara para o lançamento de mais duas novas cultivares (Pioneira e Vanguarda).

Certifica Minas Café
Encerrando o evento, o secretário João Cruz apresentou o Programa Certifica Minas Café, que está estruturado em quatro linhas de atuação: o circuito mineiro de cafeicultura, o concurso de qualidade do café; a certificação das propriedades e o mapeamento do parque cafeeiro do Estado.

“O Certifica Minas Café é uma das prioridades do Governo de Minas, dentro da área da agricultura, e conta com a participação efetiva da Emater-MG, Epamig e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), visando à profissionalização do produtor mineiro e a garantia de oferta de cafés com padrão de qualidade cada vez mais reconhecido no mercado internacional”, explica. Com Agência Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm