Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Ações de combate ao trabalho escravo e infantil vão continuar

O Ministério do Trabalho anunciou nesta quarta (26) que as operações da pasta para o combate ao trabalho escravo e ao trabalho infantil terão os recursos garantidos e serão mantidas sem cortes nos próximos meses. A medida deve ser tomada independentemente do contingenciamento orçamentário anunciado pelo governo federal. A pasta teve o bloqueio linear de 43%, ou seja, não houve especificação para corte em nenhuma das áreas.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Segundo o ministro Ronaldo Nogueira, as iniciativas terão “continuidade, nos mesmos níveis em que se realizavam, e até potencializar essas ações” de combate ao trabalho escravo e ao trabalho infantil. De acordo com ele, a pasta está readequando o orçamento para que as medidas sejam mantidas. “Aquilo que foi realizado até o mês de junho deverá ter continuidade no mês de julho, no mês de agosto, no mês de setembro, outubro, novembro e dezembro, assim como foi planejado”, disse.

Nogueira ressaltou que as operações em 2016 diminuíram em relação ao ano anterior em virtude da greve de auditores-fiscais. As informações foram divulgadas após reunião do ministro com o procurador-geral do Ministério do Trabalho, Ronaldo Fleury, que pede a manutenção das operações contra o trabalho escravo e o trabalho infantil.

Números
Em 2016, a pasta realizou 108 operações de combate ao trabalho escravo, com 667 trabalhadores resgatados em situação semelhante à escravidão. Minas Gerais apareceu em 1º lugar no número de trabalhadores resgatados, 141, o que representa 21% do total de trabalhadores retirados da exploração extrema pelas operações do ministério naquele ano. O estado aparece em primeiro lugar desde 2013, quando desbancou o Pará, que, em 2016, estava em terceiro lugar, com 77 resgatados. Mato Grosso do Sul é o segundo da lista, com 82 resgatados.

Segundo dados do Observatório Digital do Trabalho Escravo no Brasil, foram resgatadas 43.428 pessoas entre os anos de 2003 e 2017. A ferramenta, elaborada pelo Ministério Público do Trabalho e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) no Brasil, aponta que os municípios com maior prevalência de resgates são: Confresa/MT, com 1.348 resgates, seguido de Ulianópolis/PA (1.288, Brasilândia/MS (1.011), Campos dos Goytacazes/RJ (982) e São Desidério/BA (967). Com Agência Brasil

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm