Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Camex estuda abertura de contencioso sobre embargo da UE ao frango

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) autorizou na quarta (25), por unanimidade, o início de estudos para abertura de contencioso na Organização Mundial do Comércio (OMC) contestando barreiras impostas pela União Europeia (UE) à carne de frango brasileira. A proposta foi encaminhada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento depois que o bloco econômico europeu declarou embargo às exportações alegando a presença de salmonella no produto.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Na semana passada, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, já havia anunciado a intenção de instalar painel na OMC para analisar as barreiras impostas pela UE à importação de frango do Brasil.

A UE anunciou que vai descredenciar 20 plantas exportadoras da lista de empresas brasileiras autorizadas a vender carne de frango e outros produtos para os 28 países que compõem o bloco. Ao todo, unidades de nove empresas serão afetadas, diz a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

“A comunidade europeia argumenta com uma questão sanitária, mas, se os frigoríficos brasileiros pagarem uma tarifa de 1.024 euros por tonelada e mandarem tudo como carne in natura, o produto entra na UE sem problemas sanitários”, informou, por meio de nota, o ministro. “Então não é uma questão de saúde. E é isso que nós vamos reclamar na OMC”, disse Maggi.

De acordo com o Ministério da Agricultura,pagando a tarifa extra-cota, as exigências sanitárias quanto à salmonella são reduzidas de 2,6 mil tipos da bactéria para dois.

Maggi encontrou-se antes da reunião da Camex com os ministros das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, para esclarecer os problemas enfrentados com a UE e definir uma estratégia conjunta na OMC.

Segundo a pasta, a UE impõe critérios microbiológicos diferentes para detecção e controle de salmonella para carnes de aves in natura sem sal e carnes de aves in natura com sal. O critério aplicado à carne de aves sem sal restringe-se à detecção de dois tipos de bactéria (S. Enteritidis e S. Typhimurium). Nas carnes de aves salgada e temperada (cruas), o critério é a detecção de Salmonella spp (qualquer um dos cerca de 2,6 mil tipos da bactéria). “Em função da semelhança existente entre os dois produtos de carne de aves (não submetidas a nenhum processo de preservação além do resfriamento ou o congelamento), o Ministério da Agricultura entende que a adoção de critérios tão distintos constitui barreira sanitária às importações e à comercialização, sobretudo em virtude da falta de comprovação ou evidência científica que sustente o tratamento diferenciado.”

A Camex é integrada pelos ministros da Casa Civil da Presidência da República, que o preside; da Indústria, Comércio Exterior e Serviços; das Relações Exteriores; da Fazenda; dos Transportes, Portos e Aviação Civil; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão; e da Secretaria-Geral da Presidência.

Carne Fraca
A decisão da União Europeia deu-se após a terceira etapa da Operação Carne Fraca, realizada no ano passado pela Polícia Federal para investigar denúncias de fraudes cometidas por empresários e fiscais agropecuários federais. A Operação Trapaça, deflagrada em 5 de março, teve como alvo a BRF, dona da Sadia e Perdigão. O grupo é investigado por fraudar resultados de análises laboratoriais relacionados à contaminação pela bactéria Salmonella pullorum.

Em nota, a BRF negou riscos para a saúde da população. Com Agência Brasil

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm