Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Cartórios de protesto são opção segura para cobrança de dívidas do poder público

O uso de cartórios de protesto pelo poder público e empresas que detêm concessão pública aumentou em sete vezes nos últimos três anos, considerando o primeiro quadrimestre, no estado de São Paulo. Os dados são uma compilação do Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil – seção São Paulo, que atribui o aumento ao fato de os cartórios proporcionarem rápida recuperação de crédito, segurança jurídica e credibilidade.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Entre janeiro e abril de 2017, dos cerca de 4,5 milhões de títulos enviados a protesto nos cartórios do estado – que tem atribuição legal para cobrança das dívidas –, 44% (1,95 milhão) eram de governo, prefeitura ou concessões. No mesmo período de 2014, do total de 2,7 milhões, apenas 10% (268,7 mil) dos protestos tinham origem no poder público ou em concessionárias.

De acordo com a prefeitura da capital paulista, a Procuradoria-Geral do Município (PGM) tem utilizado os cartórios de protesto para cobrar dívidas por causa da rápida recuperação de crédito e da segurança jurídica. “Entre janeiro e agosto de 2017, a Prefeitura de São Paulo protestou mais de 388 mil títulos. Em todo o ano de 2016, foram 218 mil títulos protestados”, informou o município à Agência Brasil.

O governo do estado também considera o mecanismo seguro e eficiente. “A Procuradoria-Geral do Estado [de São Paulo] implementou o ‘protesto de certidão de dívida ativa’ em face da legalidade, eficácia e celeridade desse instituto, além da segurança e publicidade dada pelos cartórios de Protesto, o que colaborou para o não ajuizamento de 900 mil execuções fiscais em nível de estado [desde 2012]”, disse a PGE, em nota.

Os protestos em cartório contribuíram para o incremento da arrecadação paulista, segundo a procuradoria. A arrecadação dos chamados “débitos inscritos na dívida ativa e não ajuizados”, que foram objeto de protesto, correspondem a 52,99 % da arrecadação total da dívida ativa até 31 de julho de 2017, que foi de R$ 1,7 bilhão. De acordo com a PGE, atualmente, todo débito inscrito é encaminhado para protesto no mês seguinte. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm