Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Queda na desigualdade reduz morte de negros e pobres em SP

crdelegacia_arma
A redução dos índices de mortalidade de jovens negros no estado de São Paulo só foi possível devido a um trabalho conjunto de segurança e redução da desigualdade social, disse na terça (23) o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Alexandre Moraes aos integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga as causas da violência contra jovens negros e pobres.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Segundo Moraes, existe um “racismo disfarçado” que é difícil de ser combatido, mas que a realidade vem mudando. O estado, ao lado de Santa Catarina e do Paraná, é um dos três que apresentam a menor taxa de mortalidade de jovens negros comparados com a população branca na mesma faixa etária.

Moraes apresentou os dados de uma pesquisa do ano passado que mostram que a taxa de homicídios de jovens negros, com idade variando entre 19 e 29 anos, no estado, é de 30,9 por cem mil habitantes, enquanto que a média brasileira é de 70,8 por cem mil, mais que o dobro.

“O primeiro ponto importante para qualquer autoridade pública é atacar o problema de desigualdade social na sociedade brasileira. Não é uma questão de segurança pública isolada, só de educação, cultura é uma questão da sociedade brasileira”, disse o secretário.

“Em São Paulo estamos avançando em relação a isso, tanto em relação a questão da diversidade, como na questão importantíssima da seleção e treinamento das forças policiais”, complementou.

Ainda de acordo com o secretário, o risco de um jovem negro nessa faia etária ser vítima de homicídio é uma vez e meia maior do que a de um jovem branco. “A idade que concentra mais [casos de homicídios] é 19 a 29 anos. O índice é de 20,7 por cem mil habitantes, enquanto que o do jovem negro é de 30,9 por cem mil”, disse.

O levantamento também apontou que, de dezembro de 2013 a novembro de 2014, a taxa de homicídios no Estado ficou em 10,13 para cada 100 mil habitantes. O índice aceito pela Organização das Nações Unidas (ONU) é de 10 mortes para 100 mil habitantes. “Chegamos num nível aceitável, mas precisamos avançar”, disse Moraes.

Segundo o levantamento, 48% das vítimas de homicídios são brancas, 39% pardos e 9% são negros e que há, dentro da vulnerabilidade juvenil (faixa de 19 a 29 anos) um equilíbrio de negros e brancos, mas dentro da vulnerabilidade de 10 a 19 anos há uma diferença muito grande de brancos e negros, com o percentual maior de mortes do último grupo. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm