Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

11ª Mostra CineBH reúne 101 filmes e propõe debate sobre o cinema de urgência

Léo Rodrigues/Agência Brasil

A Mostra Internacional de Cinema de Belo Horizonte, ou simplesmente CineBH, fez na noite desta terça (22) a abertura de sua 11ª edição. Na cerimônia, o tema “cinema de urgência” foi apresentado por meio de performances e de um vídeo. A proposta é oferecer um espaço para a discussão da produção de filmes em contextos de crise social e política.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O evento é produzido pela Universo Produções, que também organiza as mostras de cinema de Tiradentes e de Ouro Preto. Nesta edição, que vai até domingo (27), serão exibidos 101 filmes de seis estados brasileiros e de mais 15 países. São 41 longas-metragem, um média-metragem e 59 curtas.

A programação, disponível na página do evento, inclui ainda exposições, seminários, apresentações artísticas e shows. Todas as atividades são abertas ao público e gratuitas. As sessões cinematográficas estão sujeitas à lotação dos espaços e, por essa razão, senhas serão distribuídas com 30 minutos de antecedência.

Cinema de urgência
Raquel Hallak, diretora da Universo Produções e coordenadora-geral do CineBH, explica que a ideia de debater o cinema de urgência foi motivada pelo atual cenário social e político do Brasil e do mundo. “Estamos vivendo uma crise e, no calor dos acontecimentos, como o cinema está retratando isso, em um momento onde temos câmeras por todas as partes?”, questiona.

De acordo com a locução do vídeo exibido na cerimônia de abertura, a crise é o momento onde a realidade convoca o cinema, exigindo o registro e uma reflexão sobre os acontecimentos. “Há urgência em nadar contra a corrente dos fluxos narrativos dominantes. Filmes que cada um a seu modo prometem produzir uma contranarrativa à avalanche midiática que acompanha essa profunda crise política. Mas, no cinema, a urgência é de outra ordem. Por mais emergencial que seja o conteúdo de um filme, ele demanda novamente tempo”, diz o locutor.

As performances de artistas levantaram ainda reflexões ligadas ao racismo, ao machismo e à homofobia. “As mostras da Universo Produções estão atentas ao mundo atual. Nós, realizadores, precisamos colocar essas questões para o público e dialogar com a plateia. Afinal, esses eventos são instrumentos também de transformação social e o cinema deve se aproximar desses temas que estão aí espalhadas, nas redes, na ruas, nos movimentos, nos coletivos”, diz Raquel Hallak.

Descentralização
A Mostra CineBH surgiu em 2007 com a proposta de criar para a capital do estado um evento representativo. O evento surgiu também da preocupação com o fato de que os filmes exibidos na Mostra de Cinema de Tiradentes não estavam tendo visibilidade em Belo Horizonte e no restante dos municípios mineiros.

Para ampliar o alcance do evento, que foi crescendo ano a ano, a mostra vem investindo cada vez mais em uma programação descentralizada. Neste ano, as atividades ocorrem em dez espaços distintos de Belo Horizonte, entre eles o Teatro Sesiminas, o Sesc Palladium, o Cine Theatro Brasil Vallourec, o Cine Santa Tereza e as praças da Estação e Duque de Caxias.

A CineBH tem ainda como objetivo potencializar o mercado audiovidual brasleiro, possibilitando o intercâmbio de profissionais e dando visibilidade a novos autores, atores e outros talentos. Também com essa preocupação, foi criada em 2009 o Brasil Cinemundi, um evento que chega a sua oitava edição e ocorre simultaneamente com a CineBH. Trata-se de um encontro internacional de coprodução, que reúne representantes da indústria mundial com interesse em coproduzir com o Brasil e conhecer pessoalmente projetos que muitas vezes não chegam até eles.

Outro evento que também está dialogando com a CineBH e compartilhando a programação é o MAX Minas Gerais Audiovisual Expo. Realizado pela primeira vez no ano passado por meio de parceria entre o governo de Minas Gerais e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), ele busca oferecer oportunidades de negócios, fortalecer a cadeia produtiva do audivisual e aumentar a competitividade da indústria criativa no estado.

Homenagem
O principal homenageado da 11ª CineBH é o ator, crítico e cineasta francês Pierre León. Nesta noite, ele recebeu um troféu simbólico. Com uma vasta produção independente no currículo, sua obra é praticamente desconhecida do público brasileiro. Com o objetivo de divulgar este trabalho, foi incluído na programação uma retrospectiva com 14 filmes do cineasta, quase todos inéditos no Brasil.

“Foi a escolha de um autor com uma cinematografia diversificada que se aproxima do perfil da mostra. E é uma oportunidade de trazer um nome muito desconhecido no Brasil e pouco reconhecido na França. Eu acho que os festivais têm esse papel, de apontar talentos que ficam muitas vezes num casulo e que tem uma obra magnífica pra ser desvendada. E o Pierre León dialoga com a temática desse ano, que é o cinema de urgência”, explica Raquel Hallak. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm