Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

A Primavera

ipprsMe encanto muito com as metáforas do pensamento humano que brotaram do encontro com a natureza. Depois do silêncio, da frieza e do tempo de morte que nos faz lembrar o inverno, a natureza irrompe com a beleza das flores. Primo – vere = início/novidade. A primavera é a estação da alegria expressa pelo barulho dos pássaros, a vida das flores e sua alegria. A natureza nos apresenta o ciclo da vida e me pergunto: por que escolhemos invernos ao invés de primaveras? Ou por que insistimos em permanecer no inverno? A Primavera nos faz recordar a ressurreição. Essa beleza precisa de tempo e de viver cada etapa da vida para florescer.

A vida, na sua dinâmica, vai experimentando mortes e vidas, invernos e primaveras. Para que haja a flor, metáfora do encanto e da beleza, é necessário que a semente escolha passar pelo sacrifício da morte, o silêncio do chão juntamente com sua escuridão, para se doar e, assim, dar origem à vida. Normalmente, aquilo que está velado, escondido, que até esquecemos ao nos encantar com a primavera vestida de seus encantos, é o que sustenta o belo e é a origem de tudo. Nunca se esqueça, antes que haja primaveras em nossas vidas, foi necessário o período do inverno, o qual manteve escondidas as sementes que não desistiram de lutar e puderam explodir de beleza e vida.

ippam1Nunca tive a pretensão de pensar que a vida é só flores. Mas também não pode ficar nos invernos. A vida precisa de sua dinâmica e movimentar-se sempre. Se uma semente deixasse se sufocar pelo solo, não ofereceria a beleza de si. Não podemos nos deixar sufocar pelas tristezas e dificuldades da vida. É preciso viver cada inverno, frieza e tristeza que vão se apresentando naturalmente ao nosso caminhar. Depois da maravilhosa primavera, o calor do verão começa a fazer a beleza ter suas dificuldades para resistir. Nem todas as belezas resistem ao calor. Existem plantas que sobrevivem nele, como no deserto. No entanto, o calor não é suportável por todas. Mas não morrem completamente. Deixam sua herança, ou seja, suas vidas nas sementes.

O outono se encarrega de conduzir as sementes ao chão para descansarem. Também precisamos do repouso, do descanso depois de produzirmos vida. Em seguida é o inverno, símbolo da dificuldade, da austeridade e da rigidez. Resistindo a tudo isso, novamente a Primavera desperta nas flores – vida conseqüente de algumas mortes. Por isso, não podemos pensar que as mortes e os invernos são ruins ou até demonizá-los. Faz parte da vida humana. Nós também somos da natureza, criaturas perfeitas à imagem do nosso Criador e acompanhamos o seu movimento.
 
Deixe no espaço abaixo seu comentário ou pergunta para o Padre Daniel Leão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm