Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Programa que levou 1 milhão de cisternas ao semiárido brasileiro é premiado

O programa Cisternas, financiado desde 2003 pelo governo federal, ganhou o segundo lugar no Prêmio Internacional de Política para o Futuro (Future Policy Award, no original, em inglês), promovido pela organização sem fins lucrativos World Future Council. Os vencedores foram anunciados nesta terça (22).

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O projeto é executado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e tem o objetivo de promover o acesso à água para consumo humano e para a produção de alimentos pela agricultura familiar. Para isso, utiliza tecnologias de baixo custo e simples manuseio. São usadas principalmente as cisternas de placa, que armazenam a água para uso na época em que não chove na região do semiárido brasileiro. O público do programa são famílias rurais de baixa renda.

A meta era construir 1 milhão de cisternas, objetivo alcançado em 2014.

“Agora, muito menos pessoas deixam a região devido à seca e, apesar de, desde 2012, a região ter experimentado uma das piores secas já registradas, relatórios indicam que não há incidência dos piores efeitos da seca – mortalidade infantil, fome, migração em massa – que costumava ser generalizada no semiárido”, afirma a organização. A meta já foi ultrapassada em mais de 250 mil unidades desde então.

“A vitória do Brasil no Prêmio Prata de Política para o Futuro 2017 está enviando uma mensagem forte e empoderadora: eles mostram como um país vulnerável à desertificação e às mudanças climáticas pode encontrar uma maneira inteligente e altamente eficaz de enfrentar com sucesso um desafio global “, afirmou a diretora e vice-presidente do Conselho de Administração da entidade, Alexandra Wandel, em material divulgado por sua assessoria de comunicação.

Em primeiro lugar ficou a Etiópia. Na região de Tigray, o país está restaurando a terra em uma “escala massiva” com a ajuda da juventude, segundo a World Future Council. Como resultado, conforme a organização alemã, a erosão diminuiu significativamente, os níveis dos lençóis de água foram reestabelecidos e a retomada da agricultura sustentável deu uma “contribuição significativa” para a suficiência alimentar e o crescimento econômico da área.

O Brasil dividiu o segundo lugar com a China, que fez uma lei para prevenir e controlar a desertificação e conseguiu reverter o problema ambiental nos últimos quinze anos. No terceiro lugar, os países premiados foram a Austrália, a Jordânia e o Níger.

Prêmio
O Prêmio Política para o Futuro homenageia políticas com um tema específico em cada edição. Este ano, em parceria com a Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos das Secas (UNCCD), foram avaliadas ações que contribuem para a “proteção da vida e dos meios de subsistência nas terras secas” e combatem a desertificação.

Foram destacadas 27 iniciativas de 18 países. Os vencedores serão premiados na 13ª Sessão da Conferência das Partes da UNCCD, que será realizada entre 6 e 16 de setembro, em Ordos, na China. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm