Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Brasil domina pódio com ouro, prata e bronze nos EUA

brasileuavolei
O vôlei de praia brasileiro dominou o torneio feminino do Grand Slam de São Petersburgo, nos Estados Unidos. Na tarde deste domingo (21/06), em uma final verde e amarela, Ágatha e Bárbara Seixas (PR/RJ) levaram a melhor sobre Juliana e Maria Elisa (CE/PE) por 2 sets a 0 (23/21 e 21/19), em 1h01, e conquistaram o título da etapa. De quebra, Fernanda Berti e Taiana venceram as alemãs Karla Borger/Britta Buthe por 2 sets a 1 (17/21, 21/19, 17/15), em 1h12, e completaram a festa brasileira em solo norte-americano.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook     Siga o Portal GRNEWS no twitter

Foi a primeira conquista em Grand Slams de Ágatha e Bárbara Seixas, que já tinham vencido os Opens do México e República Tcheca. Foi também o segundo encontro consecutivo entre os times em finais pelo Circuito Mundial 2015. Na última semana, no Major Series de Stavanger, Juliana e Maria Elisa tinham ficado com o ouro. Desta vez, as atuais campeãs do SuperPraia conseguiram a revanche.

“Não tem muito o que comparar daquela final na Noruega para hoje. Os times são acostumados a se enfrentar no circuito brasileiro, se conhecem muito bem. Mas sempre que sofremos uma derrota a gente reflete mais sofre o que precisamos melhorar, e nesse jogo entramos com muito mais atitude. Foi muito difícil chegar até a final e a gente sabia que tinha que ir com tudo pra cima delas. O diferencial foi termos a cabeça no lugar e muita atitude˜, analisou Bárbara Seixas após o título.

Com o resultado, Ágatha e Bárbara Seixas (PR/RJ) assumem a liderança da corrida olímpica brasileira, com 2360 pontos. Juliana e Maria Elisa (CE/PE) aparecem na segunda colocação, com 2120 pontos. Larissa e Talita (PA/AL) estão em terceiro, com 1960. De quebra, Ágatha e Bárbara também lideram o Circuito Mundial 2015, com 2860 pontos.

Entre os homens, a liderança da corrida olímpica se manteve com Pedro Solberg e Evandro, com 2360 pontos, seguidos por Ricardo e Emanuel, com 1800, e Alison/Bruno Schmidt, que somam 1520 pontos.

A dupla campeã de São Petersburgo soma 800 pontos no ranking do circuito mundial e leva para casa a premiação de 57 mil dólares. Juliana e Maria Elisa somam 720 pontos e recebem 43 mil dólares, enquanto Fernanda Berti/Taiana ganha 640 pontos e 32 mil dólares.

No segundo encontro em menos de 10 dias entre as parcerias, Ágatha e Bárbara Seixas e Juliana e Maria Elisa entraram em quadra com objetivos distintos. Enquanto Juliana e Maria buscavam o segundo título em sequência, após vencerem o Major Series de Stavanger, na Noruega, a paranaense e a carioca estavam em busca da revanche e, claro, o título da competição norte-americana .

Até o tempo colaborou para o confronto brasileiro. Nos dias anteriores, o evento chegou a ser paralisado três vezes por conta de raios, mas neste domingo o céu se apresentou sem nuvens. Sob uma temperatura de 34º, Ágatha e Bárbara Seixas imprimiram um ritmo muito forte no início do jogo e saíram em vantagem, abrindo 8/5.

Juliana e Maria Elisa devolveram as quebras de serviço e empataram em 10/10. Ágatha e Bárbara voltaram a acelerar o jogo e passaram novamente à dianteira, com 17/15, e chegaram a dois set points, mas as compatriotas salvaram ambos. No terceiro, após bela troca de bolas, Ágatha contou com o auxílio da fita para fechar a parcial em 23/21.

No bloqueio, Juliana deu mostras que a dupla estava disposta a reverter o revés no set anterior. Mas a resposta foi quase que imediata do outro lado da rede, com Ágatha e Bárbara anotando pontos seguidos e virando o jogo para 4/1. Mesmo em meio as investidas de Juliana e Maria Elisa, as vencedoras do SuperPraia 2015 se mantinham ligadas. Em um ace de Bárbara Seixas, o time abriu 14/12.

Só que as atuais campeãs do circuito mundial não desistiam do jogo e reverteram a desvantagem com um saque preciso de Maria Elisa (17/16). As duplas seguiram alternando bons momentos até que brilhou a estrela de Bárbara Seixas. Em dois aces, a atleta fechou o set em 21/19 e o jogo em 2 sets a 1, para garantir a primeira conquista de Grand Slam da dupla.

Para Ágatha a conquista também representa um presente de aniversário antecipado, já que amanhã a atleta completa 32 anos. “Um título de Grand Slam tem um sabor especial, maravilhoso. A gente faz dupla desde 2011, e começamos a jogar o Mundial desde 2012. Então são alguns anos jogando o circuito, principalmente de 2014 para cá, e faltava essa conquista. Para nós é uma felicidade imensa, vencer um campeonato contra os melhores times do mundo”, celebrou a paranaense Ágatha.

Bronze dourado

Na disputa pelo terceiro lugar, Taiana e Fernanda Berti encararam as alemãs Karla Borger e Brita Büthe e largaram em desvantagem de 21/17 no primeiro set. Apesar do alto desgaste por fazer a oitava partida na competição, as atletas não se abateram e Taiana, do alto de seus 1,75m, subiu a rede para bloquear e anotar 11/10 na segunda etapa.

O jogo seguiu com rallys que levantaram o público até que cearense fechou a parcial em 21/19, forçando o tie-break. Na base da vontade Taiana e Fê Berti abriram 9/3 na etapa final, mas as alemãs reagiram, virando o placar em 11/9, com oito pontos consecutivos. Mas a dupla estava determinada em conquistar a medalha de bronze. Após salvar três match points, a parceria fechou o set em 17/15 em um belíssimo rally, e desabaram em quadra.

“Nos preparamos muito para disputar o Circuito Mundial. Nosso início não foi como esperávamos, mas sempre tivemos a consciência de que poderíamos estar entre as melhores. Fizemos de cada jogo uma final, e esse foi o grande segredo do nosso time no campeonato. Essa medalha tem um sabor importantíssimo para a equipe, é o reconhecimento do nosso trabalho e de que as coisas estão acontecendo”, comemorou Taiana.

O pódio 100% verde e amarelo já havia acontecido em duas oportunidades na última temporada. No Grand Slam de Klagenfurt, na Áustria, Larissa/Talita foi ouro, Juliana/Maria Elisa ficou com a prata e Ágatha/Bárbara foi bronze. Já no Open da Argentina, novamente Larissa/Talita foi ouro, com Maria Clara/Carol levando a prata e Lili/Rebecca ficando com o bronze.

A corrida olímpica brasileira será definida da seguinte forma: uma dupla masculina e uma dupla feminina conquistarão a classificação para a Olimpíada de 2016 pela pontuação obtida nos nove principais eventos do Circuito Mundial 2015 (cinco Grand Slams, três Major Series e Open do Rio de Janeiro). Os times poderão descartar os dois piores resultados ao longo da temporada.

Em 2015, o calendário do Circuito Mundial prevê cinco Grand Slams, três Major Series, dez Opens, Campeonato Mundial e o World Tour Finals, que reunirá apenas os oito melhores times da temporada de cada gênero. Cada torneio possui pontuação e premiação distintas, mas serão distribuídos ao todo mais de 9,6 milhões de dólares.

Após a etapa norte-americana, as atenção agora se voltam para o Campeonato Mundial, que acontece entre 26 de junho e 05 de julho, na Holanda. Em seguida é a vez do Major Series de Gstaad, na Suíça.

BRASIL NO CIRCUITO MUNDIAL 2015:

Open de Praga
Ágatha/Bárbara Seixas – ouro
Duda/Elize Maia – bronze

Grand Slam de Moscou
Larissa/Talita – ouro
Evandro/Pedro Solberg – prata

Major Series de Porec
Larissa/Talita – ouro

Major Series de Stavanger
Evandro/Pedro Solberg – ouro
Juliana/Maria Elisa – ouro
Ágatha/Bárbara Seixas – prata

Grand Slam de São Petersburgo
Ágatha/Bárbara Seixas – ouro
Juliana/Maria Elisa – prata
Fernanda Berti/Taiana – bronze
Com site da CBV

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm