Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Mercosul quer que Venezuela restabeleça ordem institucional e diálogo

Alan Santos/PR

Os Estados-membros do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) e mais a Colômbia, o Chile, a Guiana e o México, reunidos na cúpula de chefes de Estado do bloco, que acontece na cidade argentina de Mendoza, pediram nesta sexta-feira (21) à Venezuela o restabelecimento da ordem institucional e de um diálogo entre a oposição e o governo de Nicolás Maduro. A informação é da agência EFE.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Numa declaração conjunta, os países reiteraram sua “profunda preocupação com o agravamento da crise política, social e humanitária” na Venezuela, fazendo “um apelo urgente pelo fim da violência no país e pela libertação de todos os detidos por razões políticas”.

Os países signatários da declaração exigem o restabelecimento “da ordem institucional, a vigência do Estado de direito e a separação de poderes, dentro do pleno respeito às garantias constitucionais e aos direitos humanos”. As nações pediram ainda ao governo e à oposição da Venezuela que “não tomem nenhuma iniciativa que possa dividir ainda mais a sociedade venezuelana e agravar conflitos institucionais”.

“Convencidos de que a solução para a crise só poderá ser resolvida pelos próprios venezuelanos, (os países signatários da declaração do Mercosul) pedem diálogo ao governo e às forças opositoras da irmã República Bolivariana da Venezuela,que permita um arranjo político crível”, diz o texto.

Finalmente, os países reiteraram “sua plena disposição para conduzir esse processo de diálogo entre os venezuelanos da maneira que seus atores considerarem mais conveniente”. A reunião de cúpula envolveu os integrantes do Mercosul, Estados Associados, México e convidados especiais.

A declaração só não foi assinada por alguns dos países que participaram do encontro, como a Bolívia, o Equador e o Suriname.

Desde 1º de abril, a Venezuela vive uma onda de manifestações a favor e contra o governo, muitas delas violentas e que já deixaram cerca de 100 mortos e mais de mil feridos. O governo Maduro convocou para o dia 30 de julho as eleições para a formação de uma Assembleia Nacional Constituinte, à qual se opõe a oposição. A iniciativa também é criticada pelo Mercosul, bloco do qual a Venezuela também faz parte mas está suspensa por conta dos conflitos políticos. Com Agência Brasil

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm