Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Venezuelanos são acolhidos com dignidade em São Paulo, diz prefeito

Eduardo Ogata/Secom/Prefeitura de São Paulo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse que os imigrantes venezuelanos acolhidos nos equipamentos públicos municipais estão sendo atendidos com dignidade. “O Ministério Público [Federal] cumpre o seu papel de fiscal da lei. Nós temos toda a tranquilidade de que o que saiu na imprensa não tem nenhuma relação com o que acontece na realidade”, disse na quaerta (20) em coletiva de imprensa.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Covas se referiu a pedido de explicação do Ministério Público Federal (MPF) à prefeitura sobre as condições dos venezuelanos recebidos na cidade. Baseado em informações divulgadas pela imprensa, o MPF diz que há suspeitas de que os abrigos têm diversas restrições que dificultam a vida e integração dos venezuelanos.

“O tratamento nos CTAs [Centro Temporário de Acolhimento] é como em qualquer um dos CTAs, feito com a maior dignidade possível. As pessoas discutem conjuntamente o que vai ter no CTA. Agora, é claro, tem horário de entrada, de saída, como qualquer equipamento público municipal. Temos tranquilidade de que o tratamento é o melhor possível”, acrescentou o prefeito em relação às críticas sobre restrição de horários.

Um venezuelano ouvido pela reportagem no CTA do Butantã disse que o local tem bom atendimento, muita comida e bom trato com os imigrantes, mas que há regras em relação aos horários. Jarvis Henrique, 24, que está no Brasil há um ano e seis meses, chegou na capital paulista em março deste ano após passar por Pacaraima (RR) – cidade que faz fronteira com a Venezuela – e por Boa Vista (RR). “Se chega tarde [no CTA], não deixa entrar. A comida, se chega tarde, tampouco. O banheiro é limpo, cama é boa”, disse.

Ação para refugiados
A declaração de Covas ocorreu após a assinatura do Programa Clube Amigo do Refugiado, acordo de cooperação com a Agência da ONU para Refugiados (Acnur) para incentivar a prática esportiva e integração dessa população. O programa será implantado gradativamente nos 46 equipamentos esportivos do município, com treinamento de funcionários e capacitação para promover adaptação dos refugiados. Os locais receberão também placas com mensagens de boas-vindas em cinco idiomas: português, inglês, francês, espanhol e árabe.

“É uma forma de integrar e acolher melhor os refugiados que vêm para a cidade através do esporte. Há uma série de iniciativas que a cidade de São Paulo é pioneira nesse tema e a gente gostaria de se diferenciar de outros países que separam pais e filhos, e de outras políticas em relação a refugiados, até porque o município se orgulha de ser uma cidade que foi construída por inúmeros imigrantes que pra cá vieram e transformaram a cidade de São Paulo na força e na pujança econômica que ela é”, disse o prefeito.

Covas acrescentou que o papel do município é “acolher essas pessoas que passam por momentos de aflição, de necessidade, para que elas possam encontrar na cidade de São Paulo um porto cada vez mais seguro”. Com Agência Brasil

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm