Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Número de casos de caxumba aumenta este ano em São Paulo

cachumba190516

O número de casos de caxumba na cidade de São Paulo já chegou a 346 até o dia 14 de maio, enquanto no mesmo período do ano passado foram registrados 68 casos. Em 2015 foram 275 casos, de acordo com a Coordenação de Vigilância em Saúde (COVISA). Os casos individuais não são de notificação compulsória, porém os surtos são. Neste ano foram 48 surtos, sendo 20 em escolas e 17 em empresas. Os restantes ocorreram em cinco residências, um hospital e outras instituições.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Segundo a Covisa, considera-se surto de caxumba a ocorrência de dois ou mais casos em uma mesma instituição. Os surtos podem ocorrer em qualquer período do ano, mas são mais frequentes no inverno e na primavera, e frequentar lugares populosos facilita o contágio, já que a doença é infecciosa e o vírus é transmissível pelo ar. “A caxumba é uma doença imuno previsível, então, todas as vezes que identificamos um surto, as pessoas que estão próximas, e não tem registro de vacina na carteira, são imunizadas”, disse a coordenadora da Covisa, Rosa Nakasaki.

De acordo com ela, nos 48 surtos registrados, a maioria (83,6%) está na faixa etária de 10 a 29 anos e, por causa disso, a Secretaria vacinou 3.499 pessoas, das quais 57% nessa mesma faixa etária. “Ou são adolescentes que estão nas escolas ou adultos jovens em empresas, convivendo diariamente por um longo período”. A recomendação de Rosa é a de que as pessoas nessa faixa etária verifiquem sua carteira de vacinação. “Aqueles com mais 30 anos podem já ter tido a doença, mas se quiserem podem fazer uma avaliação para tomar a vacina.”

A principal característica, a presença de uma inflamação das glândulas salivares (parotidite), que aparece com um inchaço na frente do ouvido e no ângulo da mandíbula em um ou nos dois lados. Os sintomas mais frequentes são: febre, dor de cabeça, dor muscular, perda de apetite, edema. Não há um tratamento específico para a caxumba, mas é feito um acompanhamento com medicamentos para a febre e a dor.

“A parotidite aparece no segundo ou terceiro dia após o contágio. Na maioria das vezes se pega dois lados, mas pode ocorrer o inchaço em apenas um lado, o que pode depender da carga viral a que o indivíduo foi exposto. Geralmente a cura acontece em uma a duas semanas. Não há complicações que levem à morte”, disse Rosa.

Ainda não há uma conclusão sobre o motivo do aumento de casos. Uma das hipóteses é a de que as pessoas não estejam vacinadas e a outra é a possibilidade de a vacina não dar imunidade para a vida toda. “Assim, é preciso a cada determinado período tomar a vacina novamente. Nesse momento, questionamos se a imunidade duradoura da vacina da caxumba está de fato acontecendo. A comprovação demandará estudos.”

Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm