Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Banais são as guerras que acabam com os jardins

jardins

Por Ana Cláudia SSaldanha

Em meu jardim há um canteiro de papiros. É uma planta festiva, tem um quê de fogos de artifícios. Uma haste comprida que culmina numa cabeleira vasta de fios leves. Uma espécie de bambu, já conhecido no antigo Egito. Talvez minha predileção por esta planta passe também pela relação dela com o papel.

Mas, estou a falar do papiro para contar, na verdade, um episódio que muito me marcou nos últimos dias: um passarinho resolveu fazer seu ninho nesta planta do meu jardim. Achei desde o princípio que não se tratava de um lugar adequado. Mas quem sou eu para pensar a engenharia dos pássaros?!

Assistimos ao trabalho árduo de recolher pequenos gravetos, horas e horas “costurando” a cama prometida.

O ninho ficou pronto e começamos a gestar os novos vôos. Até que a chuva deu o ar da graça e molhou nossas expectativas.

Ao rufar dos ventos fortes eu comecei a ficar apreensiva. Ia e vinha vigiando o ninho. Já cansada de não ter certeza e entregue à minha impotência exclamei:

– Ora, se Deus cuida dos lírios do campo e das aves do céu, cuidará desta também. Ele deve ter aprovado esta construção maluca!

Bati em retirada e acalmei meu coração depois, é claro, de ter amarrado todas as hastes com um cordão, visando deixá-las menos a deriva.

E foi nesta hora, que minha filha, em sua espiritualidade infantil, por isso mesmo mais verdadeira e profunda, dona de palavras tão parcas, porém certas nas horas certas completou:

– Deus ajuda sim, mas é através das pessoas. Ele quer que as pessoas façam a sua parte.

Dias depois leio “Massa e Meriba” do meu amigo Pe. Gabriel que termina o sábio texto assim: “Deus não resolve para nós aquilo que compete a nós mesmos resolver”.

A chuva passou e eu desamarrei a planta. Nova chuva, ainda mais forte chegou pela madrugada. O ninho tombou, não caiu, mas não conseguiu segurar os ovos. Um se espatifou. O outro ficou sobre uma folha, não quebrou. Subi na escada e aprumei o ninho arriado amarrando-o e devolvendo o único ovo restante.

O pássaro voltou. Acho que não compreendeu. Está ainda a espreita.

Fico cheia de perguntas: terá ele aprendido, contudo, uma lição? Será que o fato de perder o ninho, as crias, de viver um fim tão dentro ainda do começo, teve para ele algum significado? Afinal, até o bem e o mal, nesta perspectiva ficam tão relativos. São apenas conceitos.

Os jardins são mesmo paraísos onde Deus se faz presente. Neles é possível tocar o milagre de cada flor, pássaro, inseto que venham ser neste mundo. Mas para tê-lo é preciso colocar as mãos na terra, plantar as flores, cuidar, regar, educar. Um jardim também precisa ser podado.  No jardim, a fé acontece gratuitamente. Por tê-la eu planto e porque planto eu colho. Há o ato de plantar e colher. Em caso de flores, colher a beleza principalmente.  É a ação e reação. Ação e conseqüência que estudamos em História.

Fiquei horas refletindo sobre o que ando plantado e o ando colhendo nesta vida… E é certo que precisamos arrancar as ervas daninhas que em surdina brotam entre as sementes que semeamos.

Também vejo o milagre do movimento que garante a vida: o dia, a noite, o sol, a lua…E nesta caminhada diária deixar morrer o que é morto e transformar o fim em princípio.

São reflexões. Devaneios, mania de poeta…

Leio para meu companheiro estes pensamentos e falo da minha vergonha de estar falando de jardins, ninhos falidos de passarinhos enquanto o mundo se digladia em guerras, mortes, catástrofes de toda monta e ele, lúcido, como sempre, sentencia: “banais são as guerras que acabam com os jardins.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm