Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Deputado pede no STF que cargo de presidente da Câmara seja declarado vago

jose _carlos_aleluia190516

O deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) protocolou hoje (18) no Supremo Tribunal Federal (STF) mandado de segurança, com pedido de liminar, para que o cargo de presidente da Câmara dos Deputados seja declarado vago devido ao afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do mandato. Cunha teve o mandato suspenso no dia 5, por tempo indeterminado, após decisão unânime do plenário do STF.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Com o afastamento de Cunha, o primeiro-vice-presidente, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), assumiu o comando Casa. O deputado, no entanto, tem sido alvo de protestos e pressão de parte da Casa para que renuncie desde que tentou anular a sessão que aprovou o parecer pela admissibilidade do processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. Pressionado, Maranhão revogou a medida.

Precedente

Segundo o deputado baiano, apesar de as regras para a eleição do presidente da Câmara e as definições das prerrogativas do cargo estarem disciplinadas no regimento da Casa, a decisão do STF em afastar o presidente abriu um precedente que não estava previsto na legislação interna.

“Ao contrário do vice-presidente da República, o primeiro-vice-presidente da Câmara jamais sucede o presidente da Casa e nunca poderá exercer as atribuições constitucionais reservadas a ele”, diz Aleluia. “Admitir que o cargo de presidente da Câmara pode ser exercido em regime de substituição indefinidamente é admitir que a Câmara pode ser privada de uma parte de suas prerrogativas constitucionais sem prazo”.

Vantagens

No pedido, Aleluia pede ainda que a Corte também suspenda a vigência do ato da Mesa Diretora da Câmara que concedeu a Cunha, mesmo afastado, o direito a permanecer na residência oficial da Câmara, ao salário integral, segurança e assistência à saúde, além da cota para funcionamento do seu gabinete na Câmara.

Para Aleluia, a manutenção dos benefícios a Cunha, foi decidido de forma “açodada” e “em desrespeito aos princípios mais comezinhos [evidentes] do processo administrativo e legislativo”.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm