Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Maia e Eunício criticam manifestação de policiais contra reforma da Previdência

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), criticaram nesta terça (18) a manifestação de um grupo de policiais contrários à reforma da Previdência que terminou em tumulto e tentativa de invasão do prédio do Congresso Nacional.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Eunício disse que “essa não é a democracia que nós queremos” e criticou a ausência da Polícia Militar na hora da tentativa de invasão para garantir a segurança do prédio. No tumulto, algumas vidraças do Congresso foram quebradas.

Os manifestantes, em sua maioria policiais civis, chegaram a passar pela Chapelaria, entrada principal do Congresso, que dá acesso aos salões da Câmara e do Senado. O grupo foi contido pela Polícia Legislativa, que formou uma barreira de segurança e atirou bombas de gás lacrimogêneo.

“Lamento que esse tumulto tenha ocorrido. Lamento que a Polícia Militar não estivesse aqui para evitar qualquer tipo de confronto. Foi a Polícia do Senado e da Câmara que teve que fazer,
lamentavelmente, algum tipo de reação, quando poderia ter sido evitado inclusive esse confronto nesta Casa, que é a Casa da democracia”, disse Eunício Oliveira.

Por causa da confusão, a sessão deliberativa do dia no Senado começou com 15 minutos de atraso.

O presidente da Câmara também criticou a atitude dos policiais, que, segundo ele, “não é correta e não colabora”. Segundo Maia, entrar à força no Congresso é uma “tentativa de criar um ambiente de medo entre os deputados”.

“Vamos continuar dialogando com os deputados e com quem quiser dialogar. Esta é a Casa do Povo. A reforma [da Previdência] é para garantir um sistema saudável, para que não se repita o que está ocorrendo no Rio de Janeiro”, disse Maia em referência à situação crítica da economia fluminense, em que servidores públicos e pensionistas do estado estão com vencimentos atrasados ou suspensos. Para o deputado, esse tipo de protesto prejudica a imagem dos policiais.

Policiais
A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) informou que acompanhava a manifestação à distância porque o protesto era pacífico. No entanto, em determinado momento, um grupo de 500 a 700 manifestantes começou o tumulto e não houve tempo para que os policiais militares formassem o cordão de isolamento que costumeiramente é feito em dias de manifestações.

A assessoria da PMDF informou também que outra manifestação grande ocorria simultaneamente em outro ponto de Brasília, o que fez com que o efetivo para este caso estivesse reduzido.

A diretora do Sindicato dos Policiais Civis do Ceará, Telma Pacheco, que conseguiu entrar no Congresso no meio do tumulto, disse que o grupo queria protocolar um pedido para que as mudanças previdenciárias não atinjam policiais – que querem ser tratados conjuntamente com militares em outra proposta de emenda à Constituição (PEC), que será discutida posteriormente.

“A confusão foi porque eles não quiseram deixar a gente entrar para protocolar, queríamos entrar todos porque estamos muito revoltados com essa PEC.” Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm