Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Conselho da Petrobras aprova venda da Liquigás por R$ 2,8 bilhões

botijao_liquigas
O Conselho de Administração da Petrobras aprovou na quinta (17) a assinatura do contrato para venda da Liquigás Distribuidora S.A. para a companhia Ultragaz S.A., subsidiária da Ultrapar Participações S.A..

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O valor estimado do negócio é de cerca de R$ 2,8 bilhões, mas só será definido após correção pelo Certificado de Depósito Interbancário (CDI) entre as datas de assinatura e de fechamento da operação. “O valor ainda estará sujeito a ajustes em razão das variações de capital de giro e da posição da dívida líquida da Liquigás entre 31/12/2015 e a data de fechamento da transação”, destacou a estatal por meio de nota.

A venda da Liquigás faz parte do Plano de Desinvestimentos 2015-2016 da Petrobras. A operação foi conduzida por meio de processo competitivo.

“Essa transação ainda está sujeita à aprovação das assembleias gerais da Petrobras e da Ultrapar e ao cumprimento de condições precedentes usuais, incluindo a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência (Cade”, informou a Petrobras.

Primeira distribuidora de gás liquefeito de petróleo (GLP) do Brasil, a Ultragaz atende a cerca de 11 milhões de domicílios no segmento envasado e 50 mil clientes no segmento a granel.

A Liquigás é subsidiária integral da Petrobras e atua no engarrafamento, distribuição e comercialização de GLP e atua em quase todos os estados brasileiros, com 23 centros operativos, 19 depósitos, uma base de armazenagem e carregamento rodoferroviário e uma rede de aproximadamente 4,8 mil revendedores autorizados.

Segundo a gerente Executiva de Aquisições e Desinvestimentos da Petrobras, Anelise Quintão Lara, o preço foi considerado um valor justo por entidades externas, pela própria Petrobras e pelo mercado. “No início quando a gente divulgou que iríamos fazer este desinvestimento saíram algumas notícias relatando que a venda seria por R$ 1,5 bilhão. Agora vendemos por quase o dobro. Então, estamos todos muito satisfeitos com os resultados deste desinvestimento”, disse durante uma teleconferência com jornalistas, nesta quinta-feira à noite, após o anúncio da venda.

Segundo a gerente, a operação contribui para a meta da companhia no Plano de Desinvestimentos 2015/2016, definida em US$ 15,1 bilhões e classificada por ela como bastante ousada. “Dois mil e quinze foi um ano difícil. A gente realizou uma parcela muito pequena desta meta e em 2016, felizmente, a gente vem conseguindo realizar um a série de desinvestimentos e parcerias. Hoje com a venda da Liquigás a gente chega próximo a US$ 11 bilhões da nossa meta”, revelou.

Anelise adiantou que a Petrobras aguarda concluir outras vendas dentro do Plano de Desinvestimentos até o fim do ano. “Nós temos mais 40 e poucos dias [até o fim de 2016]. Certamente veremos outros desinvestimentos acontecerem”, disse, acrescentando que a perspectiva é de cumprimento da meta de US$ 15,1 bilhões. A gerente contou ainda que a marca Liquigás vai seguir mesmo depois de passar para o grupo Ultra, da mesma forma como ocorreu quando a Petrobras comprou a Agip, empresa italiana que atua no mercado de combustíveis.

Processo competitivo
De acordo com a Petrobras a operação de venda foi conduzida por meio de processo competitivo. Foram convidadas 46 empresas identificadas no Brasil e no exterior que teriam potencial interesse no segmento para a aquisição. Todas assinaram um acordo de confidencialidade e puderam acessar os dados gerais da empresa. Ainda na primeira etapa fizeram uma oferta não vinculante e foram para o passo seguinte, com dados mais detalhados. Na fase final é que apresentam as propostas vinculantes no processo. Segundo Anelise, por uma questão de confidencialidade, não é possível revelar quais e nem quantas empresas participaram da etapa final.

Anelise Quintão Lara não informou de quanto é o passivo trabalhista e o endividamento da Liquigás, mas acrescentou que é uma empresa enxuta e tem boa performance com baixo nível de endividamento. “Nada que chame atenção e mereça grandes comentários não”.

A gerente informou que a Liquigás tem 3.200 empregados próprios que não fazem parte do quadro da Petrobras e devem permanecer na empresa após a venda. “Acredito que há interesse do grupo Ultra de mantê-los. É uma empresa enxuta e ela não tem excesso de empregados. Então acho que o próprio mercado vai acomodar essa nova situação”, disse. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm