Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Mercado de música digital se iguala ao físico

musicadigital
Desde que se tornou realidade, no início da década passada, a música digital tem se encaminhado para ser a principal fonte de receitas do mercado. Essa realidade foi confirmada pelo levantamento divulgado em abril pela IFPI (Federação Internacional da Indústria Fonográfica). Pela primeira vez na história, o mercado de música gravada está dividido entre os formatos físico e digital, ambos com 46%. As receitas com música digital tiveram um aumento de 6,9% no ano passado, enquanto as vendas físicas caíram 8,1%.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook     Siga o Portal GRNEWS no twitter

Esses números são puxados, principalmente, pelo incremento nas receitas dos serviços de streaming. O segmento fechou 2014 com um faturamento 39% maior em relação ao ano anterior, contando apenas os valores provenientes de assinaturas pagas. O Spotify, por exemplo, tem um modelo bem sucedido, no qual oferece o serviço gratuito ao usuário, mas é financiado por anunciantes. “Comprovamos que o streaming domina realmente o mercado digital e podemos imaginar que em breve a maior parte das vendas de música acontecerá neste formato”, declarou recentemente a diretora geral da IFPI, Frances Moore.

No fim das contas, o mercado global permaneceu praticamente estável em 2014, registrando uma redução de 0,4% se comparado ao ano anterior. A América Latina foi o único continente a registrar crescimento, com elevação de 7,3% nas receitas. Na Europa, houve uma redução de 0,2%, enquanto América do Norte e Ásia registraram quedas maiores, de 1,1% e 3,6%, respectivamente.

No Brasil, os números do mercado digital também são animadores. Tomando como base as receitas com músicas gravadas em 2014, os segmentos digitais já representam 48% do total. O impulso dado pelos serviços de streaming levou a um crescimento de 30% nas receitas digitais, compensando a queda de 15% no mercado de música física. No geral, o mercado brasileiro se saiu melhor que a média global, registrando um crescimento de 2%. Para se ter uma ideia da força do streaming no mercado nacional, em 2014 o segmento (incluindo áudio e vídeo) movimentou R$ 111,37 milhões, o que corresponde a um aumento de 53,61% em relação a 2013. Enquanto isso, os downloads de faixas e álbuns registraram um aumento mais modesto, de 13,22%, atingindo R$ 65,7 milhões no ano passado. O presidente da ABPD (Associação Brasileira dos Produtores de Discos), Paulo Rosa, comemora os números do mercado de música digital em nosso território, reconhecendo que a bola da vez é o streaming. “Sem dúvida, é a grande aposta da indústria para os próximos anos”, afirma. A tendência é que a receita cresça ainda mais em 2015, com a adesão de novos clientes, o uso maior de smartphones com acesso à internet e a chegada de dois novos serviços de grande porte, um da Apple e a versão paga do YouTube.

Aliás, o YouTube vive um caso curioso, no qual é veterano e novato ao mesmo tempo. Nos próximos meses, deverá acontecer o lançamento de seu primeiro serviço de streaming pago, o YouTube Music Key. Com ele, os usuários poderão ouvir músicas sem anúncios, acessar conteúdo off-line e reproduzir conteúdo em segundo plano nos smartphones. A partir daí, a empresa que pertence ao Google poderá brigar de igual para igual com rivais poderosos como Spotify, Deezer, Rdio e até o Play Music, do mesmo grupo.

Isso só confirma a vocação que o site de compartilhamento de vídeos sempre teve, em funcionar como meio de streaming musical. No mesmo período em que iTunes dominava o mercado com sua loja virtual, milhões de pessoas já o utilizavam para ouvir as músicas dos seus artistas favoritos. Como qualquer um pode colocar conteúdo na plataforma, essa foi a maneira encontrada pelas pessoas para ouvir as novidades, sem precisar comprar a música. Com o tempo, começaram a surgir aplicativos e sites capazes de baixar as músicas dos vídeos encontrados no YouTube, dando origem a uma nova forma de pirataria na música. A expectativa é que, somado a outros serviços de streaming, o YouTube Music Key ajude a aumentar ainda mais o consumo de conteúdo licenciado. Com Portal Sucesso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm