Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Críticas da Cultura e Esporte são compreensíveis, diz Jungmann

Fábio Rodrigues Pozzebom/Arquivo/Agência Brasil

O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse na quarta (13) que são “compreensíveis” as críticas das pastas da Cultura e do Esporte sobre a destinação de parte dos recursos das loterias federais para a segurança pública. Jungmann disse que com o teto de gastos, no entanto, será preciso tirar de uma área para ampliar a dotação de outra.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

“A Presidência da República junto com a área econômica está buscando alternativas para atenuar essa transferência. Agora, vamos nos acostumar com isso porque doravante ampliar recursos numa área significa ter que tirar de outra”, disse em entrevista a jornalistas após participar do Seminário Nacional de Segurança Pública.

“Com o teto de gastos não temos como fazer uma suplementação como anteriormente. Agora para ampliar a dotação de uma área tem que tirar de outra”.

Na segunda-feira (11), o presidente Michel Temer sancionou o projeto que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e assinou a medida provisória que direciona parte da arrecadação com as loterias federais para a segurança pública. Para este ano, serão R$ 800 milhões apenas dessa fonte e a estimativa é que, em 2022, os recursos cheguem a R$ 4,3 bilhões.

Na terça-feira (12) os ministérios da Cultura e do Esporte divulgaram notas se queixando que a destinação para a segurança pública vai reduzir recursos recebidos das loterias pelas pastas.

Jungmann, disse que, no caso do Esporte, o que foi tirado não atinge o esporte paralímpico, nem o Comitê Olímpico Brasileiro. Ele acrescentou que os recursos a serem repassados para a segurança pública estavam contingenciados, ou seja, que o ministério não podia efetivamente gastar. Jungmann afirmou que na área da Cultura ocorre o mesmo que no Esporte.

Ministério
O ministro Jungmann informou na quarta (13) deve ser votada na Câmara dos Deputados a medida provisória que criou o Ministério Extraordinário da Segurança Pública. Segundo Jugmann, uma emenda vai tirar o termo “extraordinário” e a pasta se tornará definitiva. “Com a retirada do “extraordinário” o Congresso Nacional o coloca no mesmo nível dos demais ministérios. Ou seja, ele não tem mais uma limitação temporal. Passa a ser regular, ordinário”, disse.

O ministro disse entender que quem for o futuro presidente do país não vai “passar a borracha” nesse ministério. Segundo Jungmann, é uma “exigência” que os brasileiros fazem em termos de segurança pública. “Portanto, daqui para frente ministério regular, ordinário e sem data para ser encerrado”, disse.

Em discurso no Seminário Nacional de Segurança Pública, o presidente Michel Temer destacou a importância do Ministério da Segurança Pública. “Se o Congresso Nacional, que sempre colaborou conosco, traz a ideia de fazê-lo definitivo, creio que se deve primeiro à compreensão da importância da segurança pública para o país”.

Concurso público
O ministro Raul Jungmann anunciou que assina hoje (13) o edital para a abertura de concurso público com 500 vagas para a Polícia Federal. Serão 150 vagas para delegado, 60 para peritos criminais, 180 para agentes, 80 para escrivães e 30 para papiloscopistas.

“Estamos cumprindo uma promessa feita no dia de nossa posse de reforçar com recursos humanos que são escassos e que precisam ser renovados na nossa Polícia Federal, que cumpre um papel essencial em defesa da lei, da vida e dos direitos dos brasileiros”, disse Jungmann. Com Agência Brasil

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm