Banner Águas de Pará de Minas   Banner Fapam

Renan diz que MP passou a fazer política e deixou de ser fiscal da lei

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nseta terça (13) que o Ministério Público “passou a fazer política” e que isso prejudica a função “de ser fiscal da lei”. Renan também fez críticas ao vazamento de delações premiadas na Operação Lava Jato.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

“O Ministério Público infelizmente passou a fazer política, só política, e quando você faz política você perde a condição, definitivamente, de ser fiscal da lei”, disse em entrevista ao chegar ao Senado.

Renan Calheiros disse que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, colocou na força-tarefa da Operação Lava Jato três membros do Ministério Público rejeitados em sabatina pelo Senado Federal para o Conselho Nacional do Ministério Público e para o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e que “isso já demonstra o que ele [Janot] está pretendendo fazer com o Senado”. Os três membros do Ministério Público citados por Renan, no entanto, não integram oficialmente a força-tarefa da Lava Jato.

“De modo que as conduções coercitivas, as buscas e apreensões, o pedido de prisão, a prisão da polícia, a usurpação de competência, tudo é decorrente do fato do procurador-geral da República ter colocado como membros da força tarefa três pessoas rejeitadas pelos senadores”, disse Renan.

As declarações do presidente do Senado foram feitas após questionamento de jornalistas sobre notícias divulgadas na imprensa de que o nome de Renan teria aparecido na delação do ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho.

Renan disse que as delações “são vazadas seletivamente para permitir um pré-julgamento”. “O importante é que se conheça o teor das delações, sejam homologadas ou não homologadas, para que o país companhe com dados, com contra-argumentos. Não é isso que está acontecendo no Brasil”.

Em relação as notícias de que teve o nome citado na delação de Melo Filho, Renan disse considerar o fato um absurdo. “Você tem o nome citado porque alguém interpretou que alguém falaria em seu nome. Isso é um absurdo. Isso só serve para alimentar o noticiário e permitir um prejulgamento das pessoas”, disse.

Renan também comentou a primeira denúncia derivada da Operação Lava Jato protocolada contra ele nesta segunda (12) no Supremo Tribunal Federal pelo procurador-geral da República. O presidente do Senado negou ter cometido crimes ou irregularidades e disse que está absolutamente tranquilo em relação às investigações. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm