Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Brasil ocupa o quinto lugar na lista de países com mais obesos no mundo


De acordo com dados do Global Burden of Disease, publicados na revista científica britânica The Lancet, o Brasil ocupa a quinta posição na lista de países com mais obesos no mundo, atrás dos Estados Unidos, China, Índia e Rússia. Na quarta (11), quando foi celebrado o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade e o Dia Mundial de Combate à Obesidade, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) promoveu diversas atividades pelo país com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da prevenção da doença.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O endocrinologista Rodrigo Moreira, membro da diretoria nacional da SBEM, disse que nos últimos anos têm sido observado um aumento progressivo da prevalência da obesidade, e que a cada ano o número de pacientes obesos se eleva. Daí, segundo ele, a importância de se combater a obesidade e conscientizar as pessoas sobre esse problema e as consequências da obesidade como doença.

“As pessoas têm que entender que a obesidade é uma doença crônica e uma das doenças crônicas que mais matam no mundo, tanto por conta da obesidade como por suas complicações. E como doença crônica, precisa de um tratamento adequado para evitar seus efeitos devastadores”, disse, acrescentando que uma das grandes preocupações hoje no Brasil e no mundo é em relação à obesidade infanto-juvenil.

O Ministério da Saúde disse que governo brasileiro assumiu o compromisso de deter o crescimento da obesidade na população adulta até 2019, por meio de políticas intersetoriais de saúde e segurança alimentar e nutricional; reduzir o consumo regular de refrigerante e suco artificial em pelo menos 30% na população adulta, até 2019; e ampliar em 17,8%, no mínimo, o percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente até 2019.

Em nota, o Ministério da Saúde esclareceu ainda que além do acompanhamento na saúde básica de pessoas diagnosticadas com obesidade, o SUS oferece cirurgias bariátricas e reparadoras a todos os cidadãos maiores de 16 anos diagnosticados com obesidade grave. Em 2015, foram realizadas 7.541 cirurgias bariátricas no âmbito do SUS. Ressaltou ainda que a cirurgia é o último recurso para o tratamento à obesidade.

A cirurgia é permitida somente “para pacientes que passaram por avaliação clínica e acompanhamento com equipe multidisciplinar, por pelo menos dois anos, e que se enquadram nos critérios estabelecidos pela Portaria nº 425GM/MS, de 19 de março de 2013”.

Doenças
Várias doenças estão relacionadas à obesidade, entre as quais o diabetes, a hipertensão, o colesterol alto e as doenças cardíacas. “E quando você começa a ver a obesidade afetando criança e adolescente, você começa a ver doenças que apareceriam por volta de 50 anos, como diabetes e hipertensão, aparecendo com 12, 15 e 18 anos de idade”, alertou.

De acordo com Rodrigo Moreira, quanto mais cedo a obesidade for diagnosticada, melhor. E a campanha da SBEM visa implementar medidas que possam prevenir esse ganho de peso exagerado. “Hoje, a gente vive em uma sociedade obesogênica, que causa obesidade com alimentação muito ruim, estilo de vida muito ruim, sedentarismo. É a combinação desses fatores que leva ao ganho de peso”, alertou. Ele defendeu a conscientização da população sobre a necessidade de uma alimentação saudável e de uma vida saudável, com boa alimentação e prática de exercícios físicos. “Se a gente consegue implementar isso na infância, fica muito mais fácil”.

A cirurgia bariátrica é uma opção para o tratamento da obesidade, que, inclusive, é oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Porém, uma das grandes demandas da sociedade, segundo endocrinologista, é que o SUS ofereça também o tratamento para os pacientes obesos que ainda não precisem de cirurgia.

Pesquisas
A Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada pelo Ministério da Saúde em abril desse ano, revela que a obesidade cresceu 60% no Brasil entre 2006 e 2016, passando de 11,8% para 18,9%, com frequência maior entre mulheres (19,6%) do que entre os homens (18,1%).

Os dados da Vigitel mostram também crescimento do excesso de peso entre a população, que subiu de 42,6% em 2006 para 53,8% em 2016, com presença em mais da metade dos adultos residentes nas capitais do país.

A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2015, indicou que 56,9% dos brasileiros com mais de 18 anos estão com excesso de peso, ou seja, têm um índice de massa corporal (IMC) igual ou maior que 25. Outros 20,8% das pessoas são consideradas obesas porque têm IMC igual ou maior que 30. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm