Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Viveu a vida que quis

pdsolSolitários. Assim tinham sido seus últimos anos. Os filhos, cada um cuidando da sua vida. As ex-mulheres, idem. No apartamento, apenas ele e dona Rosa, a empregada que estava com ele nos últimos anos.

Naquela tarde de agosto, do alto dos seus 78 anos, sentado na pequena varanda do apartamento e tomando seu suco verde preparado com água de coco, Otávio pensava no que fora sua vida.  Não se arrependia de nada.  Tinha vivido a vida que quis.

Quando se formou em medicina, recebeu do pai um belo consultório. Especializou-se em endocrinologia. Logo se tornou um médico reconhecido e respeitado. Os pais se foram cedo e, filho único, herdou  fazendas de gado e alguns imóveis espalhados pelos lugares mais caros da cidade.

O primeiro casamento veio aos 27 anos, com Dulce, uma das moças mais bonitas daquela sociedade interiorana.  Era uma mulher cheia de atributos. Otávio a amava e até a queria como esposa  pelo resto da vida. Mas ele era muito atraente e não faltavam mulheres aos seus pés, e Otávio simplesmente não resistia. Era sensível por demais ao cheiro feminino. Amava estar entre seios, coxas e vaginas diferentes. Ah! Os cheiros das vaginas! Como resistir?!?

Quatorze anos. Foi o tempo máximo para Dulce. Cansada de ficar em casa cuidando dos dois filhos enquanto Otávio curtia seus “cheiros”, anunciou a separação. O acordo foi feito, a pensão foi acertada e Otávio comprou um apartamento luxuoso para a ex-esposa e os filhos. Na divisão dos bens, teve que se dispor da sua melhor fazenda e de alguns imóveis, o que ele não lamentou. Nessa época,  havia se envolvido  e encantado com Mara, uma jovem de 20 anos, pobre, sem estudos, disposta a  subir na vida a qualquer custo.

Mara não era nenhuma beldade, mas tinha o frescor da juventude, um corpo delgado e convidativo. E era sensual, ousada. Fazia loucuras na cama e tinha uma vulgaridade tal que tonteava Otávio. Nunca uma mulher o excitara tanto e lhe dera tanto prazer como Mara. Ah, e o cheiro da vagina dela! Era  uma droga das mais viciantes.

Logo Mara se mudou para a ampla casa, com área de lazer, piscina e empregados, onde Otávio vivera com Dulce por quatorze anos. Era tudo que ela queria. E mais as roupas de butiques de luxo, os sapatos, as joias, o BMW, as viagens, as festas.  Com a chegada da  nova “esposa”, Otávio diminuiu seus horários no consultório.  Todo o tempo possível deveria ser gasto com ela! Mara era tão fascinante que, por várias vezes, convidou amigas para participar de brincadeirinhas sexuais com ela e Otávio. Também aceitou ir a casas de swing por mais de uma vez, com desempenhos que deixaram Otávio sem ar. Era maravilhosa!

Após o furor do primeiro ano de convivência, a disposição de Mara para o sexo começou a diminuir. E foi diminuindo mais e mais à medida que o tempo passava. No começo, fingia interesse e continuava a satisfazer os desejos do marido. Depois que engravidou e teve Isabela, estava sempre cheia de desculpas e vivia “escapando” de Otávio. Ela só se preocupava em comprar, gastar, sair com amigas e viajar. Tudo bancado por Otávio. A filha ficava sempre aos cuidados de babás e enfermeiras. Mara nunca  perdeu uma noite de sono cuidando da menina ou sequer trocou-lhe uma fralda. Otávio voltou a buscar novos cheiros.  

Não houve  brigas, nem discussões, apenas um acordo judicial que rendeu a Mara uma parte do patrimônio de Otávio. Após longos oito anos, Mara se foi, com a filha. Pouco tempo depois, casou-se com um estrangeiro e foi morar no exterior.

Depois de Mara, Otávio decidiu que não colocaria mais mulher para viver com ele debaixo do mesmo teto. Teria, sim, muitas mulheres, muitos cheiros diferentes. Ah! Os cheiros! Mas seu estado civil seria solteiro. Estava livre! Queria viver tudo que há pra viver.

Otávio era  quase um cinquentão. Continuava atraente e não tinha problemas em achar companhia. Foram muitas, incluindo prostitutas baratas e também de luxo. De diversos tipos, classes sociais, cores, cheiros. Ele não tinha preconceitos. Trabalhava pouco e gastava seu tempo com mulheres (na maioria das vezes, bem mais jovens que ele).  E não se importava em gastar dinheiro com elas. Ainda tinha imóveis de aluguel e uma fazenda. Presentes caros e viagens faziam parte dos romances. Sua fama era conhecida, e muitas mulheres, sabendo disso, iam procurá-lo,  oferecendo  companhia. Ele não recusava nenhuma. Sexo! Bebidas! Orgias! Era uma vida intensa e de prazer. Foi assim por quase vinte anos após o rompimento com Mara.

Gastou tudo que tinha. E bem gasto, dizia ele. Vendeu bens para pagar dívidas. Quando o dinheiro foi acabando, as mulheres foram diminuindo. Até ele ficar só. Não sobrou nenhuma.  No fim, ficou apenas com um apartamento modesto e a aposentadoria, que lhe permitia pagar a empregada  e as despesas básicas.

As dores do reumatismo iam e vinham. Já tinha se recuperado bem das sequelas do AVC que sofrera quatro anos atrás. A pressão arterial é que estava se descontrolando nos últimos dias. Às vezes sentia falta dos filhos, que lhe faziam visitas breves e espaçadas. Com Isabela, quase não tinha contato. Dulce é que telefonava de vez em quando para saber como ele estava. Como era bom falar com ela!

Sentia que não lhe restava muito tempo de vida. Não se entristecia com isso. Ao contrário, sentia-se bem. Receberia a morte com alegria e serenidade. Não que tivesse tido uma vida infeliz, é que já tinha vivido muito. E tudo que ele queria viver. Estava satisfeito.

Lá fora, o vento balançava as folhas das árvores. Alguns redemoinhos podiam ser vistos, ao longe.    Fechou os olhos e, com um sorriso no canto dos lábios,  disse para si mesmo: “valeu a pena”. Naquela noite, teria sopa de batatas no jantar.  Dona Rosa  não demoraria a vir levá-lo para dentro. O sol já estava quase se pondo.

Leia outros textos de Carmélia Cândida.

Blogs de Carmélia
http://carmeliacandida.blog.terra.com.br

http://eraumavezesempreoutra.blogspot.com

Siga Carmélia Cândida no Twitter
http://twitter.com/carmeliacandida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm