Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Acesso ao celular e internet chega a quase 700 comunidades rurais de MG


As telecomunicações — aliadas às novas ferramentas da internet — tornaram-se imprescindíveis à vida em sociedade. Além de aproximar as pessoas, facilita a realização de negócios e o acesso rápido aos principais serviços públicos, dentre outras inúmeras conquistas para o cidadão. Diante dessa realidade, o Governo de Minas Gerais está concluindo, neste ano, o programa Minas Comunica II, que leva telefonia celular 3G a 688 distritos em todas as regiões do estado.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Para atender aproximadamente 1,2 milhão de pessoas que vivem fora dos centros urbanos, os investimentos estaduais chegaram a R$ 112 milhões, por meio de crédito outorgado de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) à operadora Vivo, vencedora da licitação.

O serviço já foi instalado em 671 (95%) distritos mineiros e a média do valor investido em cada um deles é de R$ 162 mil. Faltam apenas 17 distritos para a conclusão do trabalho previsto no cronograma do Minas Comunica II.

O benefício chega a todos, sem distinção. Entre as localidades que já receberam a telefonia móvel 3G, por exemplo, está Quartel de São João, distrito que pertence ao município de Quartel Geral (Território Oeste), com apenas 64 habitantes. Outro destaque é Novilhona, o maior distrito atendido no estado, localizado em Novo Cruzeiro (Médio e Baixo Jequitinhonha).

Acesso ao mundo
O programa promove uma pequena revolução em localidades espalhadas pelas montanhas de Minas. Foi o que ocorreu no histórico distrito de São Bartolomeu – em Ouro Preto (Território Metropolitano), distante 98 km Belo Horizonte. Por muito tempo, os moradores conviveram apenas com uma telefonia fixa precária. Entretanto, há dois anos a telefonia 3G chegou e melhorou a comunicação daquele destino turístico com o mundo.

O empreendedor Ronald de Carvalho Guerra, natural de Belo Horizonte, que o diga. Ele vive há 40 anos em São Bartolomeu e comemora a chega do celular e da internet. Robinho, como é conhecido, trabalha com turismo ecológico e possui um restaurante, enquanto a sua mulher se dedica à fabricação de doces, uma das maiores tradições do lugar.

As delícias, comercializadas na própria loja, atraem turistas e moradores do distrito, que tem pouco mais de 700 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Tínhamos apenas um telefone fixo e público. Depois se estendeu a outros pontos e, posteriormente, chegou a residências e ao comércio, mas apresentava problemas. A chegada da telefonia móvel  melhorou muito a nossa comunicação, sobretudo, para atender melhor os nossos clientes, também por mensagens pela internet. Em alguns pontos da região, ainda pode melhorar”, diz Robinho.

Já o distrito de Dom Modesto, que pertence a Caratinga (Território Vale do Aço), tem aproximadamente 2 mil habitantes, está distante 310 km da capital mineira e não é uma localidade turística, mas a melhoria nas telecomunicações trouxe qualidade de vida para os moradores.

O comerciário e eletricista Mauro César do Nascimento, que atualmente exerce o cargo de vereador no município, nasceu e foi criado em Dom Modesto e  acompanha de perto todas as transformações que ocorrem no lugar. “A chegada da telefonia móvel ao nosso distrito foi um grande feito, facilitou demais, encurtou a distância, ganhamos tempo”, reconhece.

Reflexos na economia local
De acordo com o subsecretário de Tecnologia da Informação e Comunicação da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), José Francisco Vieira da Silva Seniuk, o Minas Comunica II é estrategicamente importante para o desenvolvimento econômico, por meio do turismo e da agricultura familiar para facilitar a venda de serviços e produtos.

Seniuk aposta no programa como forma de estabelecer uma comunicação mais efetiva entre as pessoas e que isso se traduza também em negócios nas diferentes localidades, fazendo circular mais dinheiro nos territórios mineiros.

“Temos 853 municípios e vejo que isso é fundamental para o estado, que tem uma riqueza enorme em áreas turísticas, com parques e cachoeiras que podem ser visitados e pessoas capazes de empreender para comercializar o queijo, o doce, a produção de mel, entre outros produtos”, argumenta o subsecretário.

Ainda de acordo com Seniuk, a telecomunicação foi uma demanda expressiva para muitas localidades durante os Fóruns Regionais, onde o Governo ouve a sociedade para definir prioridades. Em alguns casos, ele lembra que a telefonia foi mais pedida que a saúde. “Havia o argumento de que, com o telefone, é possível fazer contato imediato com o médico”, exemplifica.

De acordo com o superintendente central de Governança Eletrônica da Seplag, Rodrigo Diniz Lara, que trabalha no Minas Comunica desde o seu início, em 2014, há uma expectativa muito positiva de que já estejam ocorrendo reflexos positivos no desenvolvimento da economia dos distritos beneficiados com a chegada da telefonia móvel.

“Na esfera privada, o Minas Comunica II fomenta novos negócios. Um exemplo disso é quando o dono de uma pousada divulga o seu empreendimento, troca mensagens instantâneas com seus clientes e recebe pagamento por meio da máquina de cartão de crédito e débito”, ilustra Lara.

O superintendente ressalta que, no caso do Governo Estadual, é divulgado o MG App, uma importante ferramenta para quem mora fora dos centros urbanos. “O contribuinte que precisava se deslocar até uma unidade física para buscar a segunda via de uma conta de serviços públicos, por exemplo, não precisa mais e pode fazer o pagamento sem sair de casa, pelo celular”, ressalta.

Por meio do MG App o cidadão pode acessar serviços da Cemig, Copasa e Detran-MG, agendamento nas Unidades de Atendimento Integrado (UAIs), entre outros.

Impactos no PIB
A importância da telefonia móvel para o cidadão está descrita no relatório “Qual é o Impacto da Telefonia Móvel no Crescimento Econômico?” (“What Is the Impact of Mobile Telephony on Economic Growth?”) produzido pelo Groupe Speciale Mobile Association (GSM) e a empresa Deloitte, em novembro de 2012.

O estudo apresenta uma previsão do impacto do uso de dados móveis no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), em mercados desenvolvidos e em desenvolvimento.

O relatório se baseia em pesquisa de uso de dados e de crescimento econômico em 14 países, fornecida pela Cisco Systems, com base em seu “Índice de Rede Visual” (VNI — Visual Networking Index), bem como em estudos da Deloitte sobre o impacto da telefonia móvel na produtividade, em 79 países, e sobre o impacto da tecnologia 3G em 96 países.

Com o uso de dados do VNI da Cisco para os 14 países, o estudo revelou uma relação estreita entre os dados móveis por conexão 3G e o crescimento econômico. Uma duplicação do uso de dados móveis resulta em um aumento de 0,5 ponto percentual na taxa de crescimento per capita do PIB nos 14 países, entre eles o Brasil.

Nos mercados em desenvolvimento, uma expansão de 10% na entrada da telefonia móvel aumenta a produtividade em 4,2 pontos percentuais.

Minas Comunica III
A primeira etapa do programa, o Minas Comunica I, levou telefonia móvel às sedes de municípios. Logo depois houve a reivindicação dos distritos para receber o benefício, atendida pelo Governo do Estado com o Minas Comunica II.

Rodrigo Diniz antecipa que a demanda por telefonia móvel não acaba e que a conclusão do Minas Comunica II nos próximos meses fará com que o Governo do Estado possa iniciar estudos para o Minas Comunica III. O objetivo é a inserção de localidades que ainda não têm acesso ao serviço.

“Temos o desafio de encontrar critérios e uma equação econômico-financeira que fique boa para o cidadão, município, Estado e para o parceiro privado se interesse em participar”, diz o superintendente de Governança Eletrônica.

A tecnologia 3G, utilizada pela operadora que participa do Minas Comunica, é um termo utilizado na linguagem da telefonia celular e da internet móvel. A definição de 3G é terceira geração de padrões e tecnologias da telefonia móvel, que substitui a 2Gque ainda está presente em muitos lugares.

Segundo Diniz, a migração para o sistema 4G é apenas uma questão de tempo, pois as empresas investem em novas tecnologias que, quanto mais utilizadas, diminuem os custos de operação.

Apesar de ter iniciado em 2014, o Minas Comunica II ganhou volume a partir de 2015 e caminha para a sua conclusão cobrindo praticamente todo o estado.

“Alguns distritos demoram mais por causa do licenciamento ambiental, que pode ser municipal, estadual ou federal. Outro fator que merece atenção é a extensão da rede elétrica em regiões com relevos mais acidentados, mas os resultados são muito satisfatórios”, explica o gestor técnico da Seplag, Thiago Nunes, que acompanha a execução do programa e a certificação. Com Agência Minas

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm