Banner Águas de Pará de Minas   Banner Fapam

Inflação tem surpreendido favoravelmente, diz presidente do BC

A inflação corrente tem surpreendido favoravelmente, segundo o presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, que participou nesta sexta (9) de reunião com conselheiros do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), em São Paulo. O evento foi fechado à imprensa, mas o BC publicou o discurso de Goldfajn.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

“É verdade que há sinais de uma pausa, na margem, na desinflação de alguns componentes do IPCA [Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo] mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária [decisões sobre a taxa básica de juros]. Todavia, surpresas positivas na inflação e a fraqueza na atividade tornam mais provável a retomada do processo de desinflação desses componentes”, disse Goldfajn.

A inflação oficial, medida pelo IPCA, ficou em 0,18% em novembro deste ano, abaixo do 0,26% do mês anterior. Essa também é a menor taxa para meses de novembro desde 1998. Em 12 meses, o IPCA acumula taxa de 6,99%, bem abaixo dos 7,87% registrados em outubro.

Diante da recessão econômica e da melhora na inflação, o Bando Central tem sinalizado que pode intensificar o corte da taxa básica de juros, a Selic. Nas suas duas últimas decisões, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC cortou a Selic em 0,25 ponto percentual. Atualmente, a taxa está em 13,75% ao ano.

A Selic é um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e, consequentemente, a inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle sobre a inflação.

Crise econômica e reformas
Segundo Goldfajn, um dos fatores que levaram o país à atual crise econômica foi o “fim um período de ouro para economias emergentes exportadoras de commodities”. Internamente, o presidente do BC avaliou que foram cometidos excessos, com crescimento dos gastos públicos e privados acima do nível sustentável, levando a um endividamento crescente. Segundo ele, o governo anterior adotou políticas “demasiadamente intervencionistas”, que geraram “sérios desequilíbrios na economia”.

Para o país voltar a crescer, Goldfajn disse que é preciso manter a perseverança e a serenidade para eliminar “excessos do passado e envidar todos os esforços para levar à frente as reformas na área fiscal – incluindo a PEC [Proposta de Emenda à Constituição] da Previdência”.

“Devemos promover investimentos em infraestrutura e acelerar as concessões. O resultado dessas ações levará à queda sustentável dos juros, juntamente com a queda permanente da inflação”, acrescentou o presidente do BC no discurso aos empresários.

Para Goldfajn, com crescimento sustentável, o país será capaz de aumentar o emprego e a renda. “Temos certeza de que assim melhor contribuiremos para dar curso ao desenvolvimento econômico e social do Brasil”, afirmou. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm