Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Caminhos

caminhos
Estou acostumado com trilhas no mato, não tenho medo. Em poucos minutos chego ao acampamento. É noite. Vejo crianças brincando e adultos conversando ao redor de uma fogueira. Ninguém me vê.

De repente uma pessoa se levanta e vem em minha direção. Pelo movimento do corpo vejo que é meu filho. Aproxima-se sorrindo e me abraça. Não quero segui-lo até o grupo, só conversar um pouco, ver como ele está.

No passado tentei prendê-lo, adestrá-lo, protegê-lo, forçando-o a se adequar a um padrão de comportamento que eu acreditava ser o melhor para ele, o mais seguro, o mais certo. Mas logo vi que era perda de tempo, que ele não se enquadrava, que a sua vida transbordava dos limites e escorria livre, ardendo, como lava de vulcão.

Ele não fracassou.

Daqui ele irá para o interior com a sua trupe, mostrando sua arte. Trocamos cartas ao estilo antigo, como eu fazia com a mãe dele antes de nos casarmos. Ele liga às vezes, conversa com a gente, rimos juntos; é bom, mas sinto-o mais perto de mim quando leio suas cartas, tão bem escritas, tão poéticas. Guardo-as todas com muito carinho.

Enquanto conversamos, ouço cães latindo ao redor do acampamento. Uma enorme coruja nos observa atentamente do alto de uma árvore. De uma das barracas vem uma música de orquestra que eu reconheço ser Mozart.

Meu filho está bem. Está feliz, saudável. Segue seu caminho. Sabe o que quer.

Despeço-me dele e volto pela mesma trilha, beirando o rio. Mozart aos poucos se confunde com os sons da noite. Não ouço mais os cães.

Lembro-me de como eu sofria horrores ao perceber que algumas pessoas riam e zombavam dele, só por ele ser diferente… Que bobagem.

Hoje sei que meu filho é um vencedor. Venceu preconceitos e seguiu seu caminho, impulsionado pelo destino, fiel a si mesmo. Poucos podem dizer que venceram na vida como ele. Eu não posso. Mas estou feliz por ele.

Acendo um cigarro e continuo andando. Um vento frio vindo do sul me faz abotoar o casaco. Parece que vai chover.

Flávio Marcus da Silva

Imagem: “Landscape at Twilight” (1890), de Vincent Van Gogh

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm