Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Evento internacional faz recomendações para melhorar alimentação escolar

Priorizar a alimentação orgânica, respeitar a cultura alimentar regional, evitar alimentos processados, aumentar o consumo de água e a prática de atividades físicas, além de envolver as famílias na alimentação saudável e estimular o ato de cozinhar, com oficinas culinárias. Estas são algumas das recomendações feitas pelos participantes do Congresso Internacional de Alimentação Escolar, encerrado nesta quinta (5) em Brasília.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

O evento reuniu representantes de 24 países para discutir o papel da alimentação escolar e compartilhar experiências sobre a educação alimentar e nutricional. O resultado foi um documento com três eixos principais: acesso aos alimentos, construção do conhecimento e promoção de hábitos.

As recomendações serão publicadas para que possam ser usadas pelos países participantes, seus estados e municípios, de modo a respaldar a discussão sobre as políticas a serem adotadas, informou Najla Veloso, coordenadora de um projeto para o fortalecimento de programas de alimentação escolar na América Latina e Caribe, da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

O representante da FAO no Brasil, Gustavo Chianca, disse que a troca de experiências no evento, com adaptação para a realidade de cada país, vai ajudar a construir caminhos para a educação alimentar e nutricional. “Essa construção coletiva que vai trazer a força para podermos continuar com esse tema tão bonito e tão importante para nós”.

No final do evento, os representantes de diversos países ressaltaram a importância de trabalhar em conjunto para encontrar soluções. O representante da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar da Guatemala, Sérgio González, observou que foram parecidos os problemas relatados por diversos países durante o congresso. “Todos esses dias observamos problemas comuns e soluções similares, mas não iguais”, disse González.

Segundo a professora Alissandra Almeida, que dá aula para alunos da educação infantil no município de Castro, no Paraná, a participação no congresso fez com que ela se desse conta da importância dos professores para o estímulo à alimentação saudável. “Eu não tinha essa dimensão, e só ouvindo mesmo para se sentir valorizada como professora. Eu vou levar e vou multiplicar e vou fazer a diferença na minha cidade”.

Comer pra quê?
Durante o evento, a coordenadora-geral de Educação Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social, Mariana Pinheiro, apresentou o projeto Comer pra quê?, direcionado à juventude brasileira e com o objetivo de gerar consciência crítica sobre as práticas alimentares. O movimento está em ação desde 2014 por iniciativa do ministério, em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), entre outras instituições.

O movimento buscou conhecer a realidade dos jovens para criar situações de reflexão e pensar sobre o papel das escolhas alimentares, tanto para si mesmo quanto para a sociedade e para o planeta. Depois disso, foram realizadas oficinas com entidades, a partir das quais foi elaborado material de comunicação, como o site www.comerpraque.com.br, com conteúdos como filmes de animação, spots de rádio e vídeos protagonizados pelos participantes do projeto. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm