Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Criado plano para desenvolver comunidades extrativistas e ribeirinhas

Extrativistas e ribeirinhos contam agora com um plano de fortalecimento de suas comunidades e atividades produtivas. Publicado nesta sexta (6) no Diário Oficial da União, o Plano Nacional de Fortalecimento das Comunidades Extrativistas e Ribeirinhas (Planafe) prevê ações de inclusão social e apoio à produção sustentável e exploração ambiental equilibrada da sociobiodiversidade.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), milhares de brasileiros nos seis biomas serão beneficiados pelo Planafe. No Cadastro Único do Ministério do Desenvolvimento Social estão listadas 150 mil famílias como extrativistas e ribeirinhos. Também serão atendidas famílias cadastradas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Mais de 150 milhões de hectares (quase 49%) de florestas públicas federais são utilizadas economicamente por povos e comunidades tradicionais, ribeirinhos e quilombolas. A execução do plano será acompanhada e avaliada por comissão paritária entre governo e extrativistas.

O decreto do Planafe foi assinado na quinta (5) pelo presidente Michel Temer, que também assinou decretos de criação de cinco unidades de conservação (UCs) federais: o Parque Nacional e a Área de Proteção Ambiental (APA) Boqueirão da Onça, no interior da Bahia, e as reservas extrativistas Itapetininga, Arapiranga-Tromaí e Baía do Tubarão, no Maranhão.

De acordo com o MMA, as medidas buscam, de um lado, ampliar o conjunto de áreas protegidas nos biomas Amazônia, costeiro-marinho e Caatinga e, de outro, promover a integração das políticas públicas de melhoria da qualidade de vida e de produção sustentável para milhares de famílias que vivem do extrativismo no país.

Comitê
Também foi publicado hoje no DO, o decreto que institui a criação do Comitê de Bacia Hidrográfica (CBH) do Rio Parnaíba. A bacia é considerada a segunda mais importante do Nordeste, depois do São Francisco, e se estende por uma área de 331.441 km², abrangendo os estados do Maranhão, Piauí e Ceará.

No Maranhão, a bacia tem aproximadamente 19,5% de sua área, incluindo 39 municípios, sendo 11 totalmente inseridos em sua área de influência.

Um grupo de trabalho será criado pelo Conselho Nacional de Recursos Hídricos para acompanhar o funcionamento do CBH Parnaíba até a eleição da diretoria definitiva. Enquanto isso, representantes dos estados poderão indicar nomes para compor a diretoria provisória, que ficará encarregada dos trabalhos iniciais.

Além de representantes dos governos estaduais e municipais, o comitê será formado por membros da sociedade civil, incluindo os usuários da água.

O CBH Parnaíba, como órgão consultivo e deliberativo, terá a finalidade de decidir, no âmbito da gestão dos recursos hídricos, questões relacionadas ao desenvolvimento sustentável da bacia, como programas de investimento e políticas de estruturação urbana e regional, entre outras. Com Agência Brasil

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm