Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Clima é de incerteza e deputado diz que PSDB pode deixar base aliada de Michel Temer


Continua tenso o clima no Congresso Nacional após as delações premiadas do proprietário do grupo J&F, dono do frigorífico JBS e outras empresas no Brasil e no exterior, Joesley Batista e do executivo da empresa, Ricardo Saud.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Eles confirmaram como era o pagamento de propina para deputados, senadores, e outras autoridades. O dinheiro era liberado enquanto os parlamentares e outros agentes trabalhavam em favorecimento das empresas.

O deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) foi filmado carregando uma mala com R$ 500 mil de propina. Ele deixou de atuar na Câmara dos Deputados por se suplente de Osmar Serraglio (PMDB-PR), que foi demitido Ministério da Justiça, recusou o convite para assumir o Ministério da Transparência e reassumiu seu cargo na Câmara dos Deputados.

O agora ex-deputado Rodrigo Rocha Loures foi preso preventivamente em Brasília, no último sábado (03), e levado para a Superintendência da Polícia Federal. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, assinou o mandado de prisão solicitado pela Procuradoria Geral da República (PGR).

O clima é de incerteza e insegurança em relação ao governo do presidente Michel Temer (PMDB-SP). Ele foi muito atingido pelas declarações do empresário Joesley Batista, que atualmente está nos Estados Unidos.

O deputado federal Eduardo Barbosa vem acompanhando todo o processo. Ele afirma que todos os políticos foram surpreendidos com a nova avalanche de denúncias e ainda não existe uma solução. Ele revela que existe uma corrente forte dentro do partido defendendo que o PSDB deixe a base aliada do governo Michel Temer:

Eduardo Barbosa
crisepoliticaeduardobarbosa1

A saída dos tucanos da base de apoio do presidente Michel Temer pode induzir um pedido de renúncia do cargo. Porém, esta prerrogativa é exclusiva do chefe do Poder Executivo e nenhuma outra autoridade pode forçá-lo a fazer isso:

Eduardo Barbosa
crisepoliticaeduardobarbosa2

O parlamentar acredita que um processo impeachment não seria a melhor saída para a atual crise política do Brasil. Os trâmites são demorados e afetariam ainda mais a economia que já está fragilizada:

Eduardo Barbosa
crisepoliticaeduardobarbosa3

Ele afirma que a reforma da Previdência praticamente morreu no Congresso Nacional. Contudo, a reforma Trabalhista poderá ser aprovada pelo Senado Federal nos próximos dias:

Eduardo Barbosa
crisepoliticaeduardobarbosa4

Nos dias 6, 7 e 8 de junho, terça, quarta e quinta-feira, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, fará o julgamento da ação movida pelo PSDB contra a chapa Dilma-Temer nas eleições de 2014.

Se for cassada a chapa, o presidente Michel Temer terá que deixar o cargo de imediato e assumirá interinamente o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Será convocada uma eleição indireta e o Congresso Nacional elegerá o novo presidente até o final do mandato em 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm