Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Prefeitura do Rio vai assumir a gestão de restaurantes populares do estado

A prefeitura do Rio de Janeiro vai assumir a gestão de oito restaurantes Cidadão espalhados pela cidade, administrados pelo governo do estado. O acordo foi fechado nesta quarta (4) em uma reunião do secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, João Marcos Mattos, com a secretária municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação, Clarissa Garotinho, e o presidente da Comissão de Orçamento da Assembleia Legislativa (Alerj), Pedro Fernandes.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Os restaurantes populares funcionam em Bangu, Campo Grande e Jacarepaguá, na zona oeste da cidade; e em Madureira, Bonsucesso, Irajá e no Méier, bairros da zona norte; além de restaurante no centro da cidade que está sem funcionar desde outubro do ano passado, por falta de recursos do governo estadual.

Segundo o secretário João Marcos Mattos, a municipalização dos restaurantes foi a solução encontrada pelo governo estadual para continuar atendendo à população que precisa do serviço. “Diante da crise financeira pela qual passa o estado, estamos buscando saídas para manter todas as conquistas que essa secretaria já conseguiu”, afirmou.

O secretário pediu também o apoio da guarda municipal para garantir a proteção do patrimônio dos restaurantes fechados.

Minuta de convênio
Agora, a prefeitura vai encaminhar o pedido formal de municipalização dos restaurantes à Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos. A secretaria Clarissa Garotinho estimou que o processo burocrático esteja concluído até o fim deste mês. Ela disse que as equipes jurídicas do estado e do município estão discutindo a minuta de convênio. “Com certeza, e a gente espera abrir os restaurantes em um prazo de 60 a 90 dias. Vamos fazer de tudo para abrir em 60, mas temos um prazo de até 90 dias para abrir os restaurantes”, afirmou à Agência Brasil.

Segundo ela, existe também a possibilidade de alguns restaurantes populares abrirem antes do prazo – não mencionou quais. “Eu estou dando um prazo maior porque é inicio de governo, e a gente não sabe os imprevistos que podem acontecer. Quero reabrir bem antes, mas estou dando o prazo máximo”, acrescentou. A prefeitura quer continuar oferecendo 6.750 cafés da manhã e 20.613 refeições. Claissa disse que “a ideia é manter o mesmo patamar, o mesmo preço de R$ 2, com subsídio do município”.

A secretária adiantou que o decreto do prefeito Marcelo Crivella, publicado no primeiro dia da sua administração, indicando a intenção de fazer a municipalização, inclui a possibilidade de ampliação do número de restaurantes populares na cidade, mas isso não deve ocorrer inicialmente. A prioridade, por enquato, é abrir os restaurantes, disse ela. Depois, então, será o caso de o governo municipal pensar em possível ampliação, no próximo ano, salientou.

Clarissa Garotinho revelou que o custo de manutenção dos restaurantes é de R$ 30 milhões por ano, e afirmou que o programa estará subordinado à secretaria municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação. Além das refeições nos restaurantes populares, a prefeitura vai oferecer o café da manhã popular servido nas estações de trem de Bangu, Campo Grande, Santa Cruz e Bonsucesso. Com Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm