Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Câmara Municipal rejeita denúncias contra a gestão Elias Diniz e processo é arquivado


A Câmara Municipal de Pará de Minas realizou na noite desta quarta-feira, 2 de maio, a reunião Ordinária devido ao ponto facultativo da última segunda-feira por causa do feriado do Dia do Trabalhador.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Abrindo os trabalhos foi lida a ata da reunião anterior e o expediente. Em seguida foi apresentado o veto do prefeito ao projeto de lei que regulamento o cartão Passa Fácil, de autoria do vereador Daniel Melo (SD). Sem a definição dessa matéria a pauta fica travada.

Os vereadores mantiveram o veto por unanimidade, inclusive com apoio do autor da proposta. Dando continuidade, foram apresentadas denúncias protocoladas na última sexta-feira, 27 de abril, pelo vereador Dilhermando Rodrigues Filho (PSDB).

O parlamentar apresentou cerca de 350 páginas contendo cinco denúncias contra a administração do prefeito Elias Diniz (PSD). Ele seguiu o rito do decreto 201 de 1967 e pediu a formação de uma Comissão Especial Processante (CEP) para apurar e se for preciso cassar o mandato do chefe do Executivo.

De acordo com o denunciante, a gestão contratou uma empresa para ministrar um treinamento para servidores da saúde sem licitação e de forma irregular. Cancelou créditos especiais sem comunicar o Poder Legislativo.

Também descumprimento da lei que exige o trabalho de motoristas e cobradores nos ônibus coletivos. A legislação foi sancionada pelo prefeito, porém não está regulamentada.

Promoveu divulgação de shows de bandas em eventos e para a festa de fim de ano antes da licitação finalizada e constando os nomes dos artistas vencedores. Ou seja, divulgou as grades de shows antes da licitação.

Segundo a Constituição Federal, seriam necessários 12 votos a favor do acatamento das denúncias para que o processo fosse instaurado. Ao final, o placar foi de 9 votos a favor e 8 contra.

Votaram a favor das investigações: Ênio Talma Ferreira de Rezende, Marcílio Magela de Souza, Nilton Reis Lopes, Rodrigo Alves Menezes, Gladstone Correa Dias, Márcio Eustáquio Rodrigues, Mário Justino da Silva, Marcus Vinícius Rios Faria e Alexandre Keuffer, suplente do vereador Dilhermando Rodrigues Filho, como manda o rito da lei.

Votaram contra o acatamento das denúncias: Antônio Carlos dos Santos, Leandro Alves, Marcos Aurélio dos Santos, Rodrigo Varela Franco, José Salvador Moreira, Carlos Roberto Lázaro, Daniel Melo e Márcio Lara.

O presidente da mesa diretora, Marcus Vinícius Rios Faria (MDB) explicou que o rito do decreto 201/67 foi seguido à risca e não dá margem para ampla discussão. Contudo, os vereadores sabiam do conteúdo das denúncias e optaram pelo não acatamento.

Ele também acredita que durante os próximos dias haverá muitas conversas e discussões em torno dessas informações apresentadas. Não descartou a possibilidade de abertura de uma CPI:

Marcus Vinícius Rios Faria
marcus_vinicius_denuncias

Mesmo com o arquivamento do processo, o vereador Dilhermando Rodrigues Filho disse ao final que estava com a consciência tranquila de ter feito seu papel de fiscalizador e ressaltou que vai estudar junto com os colegas a possibilidade de retornar com as denúncias para abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI):

Dilhermando Rodrigues Filho
dilhermando_denuncias

O prefeito Elias Diniz compareceu a Câmara Municipal acompanhado de alguns secretários e assessores. Ele estava com vários documentos e queria se pronunciar sobre as questões levantadas.

Porém, após o arquivamento das denúncias pelo plenário, o presidente da Câmara Municipal informou que o chefe do Poder Executivo poderia retornar outro dia e usar a tribuna livre para dar as explicações.

Ele explicou o que foi feito com os softwares de gestão que resultaram em economias para os cofres públicos. Nos casos de créditos suplementares nada irregular foi feito pela atual gestão:

Elias Diniz
elias_diniz_denuncias1


Finalizou destacando as contratações das Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP’s) para promoção de eventos e os estudos que vem sendo feitos para as melhores rotas dos itinerários dos ônibus coletivos urbanos, visando a licitação da nova empresa:

Elias Diniz
elias_diniz_denuncias2

Mesmo com o arquivamento do processo da CEP, os vereadores poderão encaminhar as denúncias ao Ministério Público Estadual (MPE) ou criar uma CPI para apurar e tomar as medidas cabíveis se forem comprovadas irregularidades.

Um comentário

  1. E o que diz os que defenderam o prefeito?
    Queremos saber…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm