Banner Águas de Pará de Minas   Banner Facebook

Comissão de Arbitragem da CBF faz balanço positivo da temporada 2016


Durante o ano de 2016, a CBF buscou o aprimoramento e evolução da arbitragem brasileira. Para isso, a Comissão de Arbitragem promoveu diversas reuniões, cursos e encontros para capacitar os seus profissionais. No total, foram 138 atividades desenvolvidas ao longo da temporada, sendo 124 pelo Brasil e mais 14 no exterior.

Curta a página do Portal GRNEWS no Facebook Siga o Portal GRNEWS no twitter

Entre o fim de janeiro e o início do mês de fevereiro, foi realizado um workshop internacional para discutir o planejamento estratégico entre os integrantes dos órgãos da arbitragem da CBF, presidentes de 22 comissões estaduais de arbitragem e 24 árbitros internacionais que, além de receberem suas insígnias para a temporada 2016, tiveram a oportunidade de apresentar seus anseios para integrar o planejamento estratégico da arbitragem. Ainda em fevereiro, foi dado um passo importante para a aprovação do árbitro de vídeo. O presidente da Comissão da Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, e o diretor técnico da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol, Manoel Serapião Filho, apresentaram o projeto brasileiro ao International Football Association Board (IFAB), em Londres, na Inglaterra.

O dia 5 de março de 2016 entrou para a história do futebol, com a aprovação do projeto do árbitro de vídeo pelo International Football Association Board (IFAB). A partir daí, foram iniciados os testes do uso da tecnologia para acabar com dúvidas em lances decisivos. A tecnologia continuou em pauta e, ainda no mês de março, autoridades da arbitragem se reuniram na sede da CBF para tratar, entre outros assuntos, as normas e diretrizes propostas para 2016, atreladas à tecnologia. Estiveram presentes nos encontros, a Comissão de Arbitragem (CA-CBF), representantes da Escola Nacional de Arbitragem (ENAF) e da Corregedoria e Ouvidoria, além de integrantes da Comissão de Arbitragem paraguaia.

Em abril, o curso regional para instrutores de árbitros (FUTURO III), organizado pela Conmebol, recebeu a presença de seis instrutores brasileiros. A atividade serviu para a atualização das regras do jogo, de modo que os profissionais brasileiros mantenham-se preparados para ministrar cursos, palestras, entre outras ações. Em seguida, psicólogos de federações de futebol de todo o país promoveram em Belo Horizonte (MG) o 3º Encontro dos psicólogos de Árbitros de Futebol. O evento discutiu as ações psicológicas utilizadas na preparação dos árbitros e a atuação dos trios de arbitragem nos jogos de futebol. Durante a 130ª reunião do International Football Association Board (IFAB), a entidade definiu a revisão das regras do jogo. Aprovado de forma unânime pela Subcomissão Técnica, esse pacote de mudanças é, provavelmente, o mais abrangente em toda a história de 130 anos do IFAB. O livro de regras foi reorganizado e atualizado para facilitar a leitura e o entendimento pelos árbitros e por toda a comunidade do futebol. O IFAB é responsável pelas regras do jogo no mundo todas as instituições do futebol devem adotar as suas orientações. A adoção das mudanças foi anunciada no dia 29 de abril.

A Semana de Evolução do Futebol Brasileiro promoveu o debate “Arbitragem: elevando a qualidade e a confiança na arbitragem nacional”. Em sua exposição, o presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Vitor Pereira, falou sobre o planejamento do setor em seu país e elogiou o trabalho realizado no Brasil.

No mês de maio, a FIFA definiu os integrantes da estrutura da arbitragem que atuariam nos Jogos Olímpicos Rio 2016, nas partidas de futebol masculino e feminino. Quatro brasileiros foram convocados: Sandro Meira Ricci, Emerson Carvalho, Marcelo Van Gasse e Neuza Back. Logo em seguida, foram definidos os árbitros da Copa América Centenário. Pelo Brasil, os representantes foram o árbitro Héber Roberto Lopes, os auxiliares Kleber Gil e Bruno Boschilia, além do reserva Wilton Sampaio. O trio titular, inclusive, atuou na decisão da competição. Antes do início do Campeonato Brasileiro, houve uma reunião com os treinadores para definir mudanças. Ainda neste mês, a Comissão de Arbitragem da CBF anunciou a renovação das equipes para os jogos do Brasileirão 2016. O número de novos árbitros na escala dos 20 primeiros jogos aumentou em 100%. Ainda em junho, após 100 jogos completados, o Brasileirão 2016 alcançou a marca de 34% de partidas com mais de 60 minutos de bola rolando, o tempo mínimo classificado pela Fifa como ideal para uma partida de futebol. Somente na última rodada, três jogos superaram a marca: Santa Cruz x Flamengo (73’17”), Palmeiras x América-MG (72’14”) e Fluminense x Santos (66’43”). A média de bola rolando até agora na Série A é de 56’32”, maior que a média total nos últimos dois anos: 2015 (54’05”) e 2014 (52’27”).

Em junho, a FIFA e o International Football Association Board (IFAB) aprovaram as primeiras experiências de uso do árbitro de vídeo. Autora do projeto pioneiro, a CBF foi uma das entidades autorizadas. No fim do mês, membros da Escola Nacional de Arbitragem da CBF receberam jornalistas e cronistas esportivos para um debate. No encontro, realizado na sede da entidade, os convidados ouviram, em detalhes, todo o trabalho realizado pelo departamento, das escalas de árbitros aos programas de capacitação e reciclagem, assim como o pioneirismo na elaboração do projeto de árbitro de vídeo.

No mês seguinte, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) realizou o Curso Internacional de Talentos para Árbitros Jovens, de 7 a 11 de julho deste ano, na cidade de Quito, no Equador. Quatro brasileiros com idade inferior a 32 anos foram convidados: os árbitros Rodolpho Toski e Bruno Arleu e os assistentes Alex Ang Rubeiro e Rafael Trombeta. A Comissão de Arbitragem da CBF realizou, em Águas de Lindoia (SP), o Curso para Jovens Árbitros, iniciativa do Programa de Renovação da Arbitragem Brasileira (PRAB). Iniciado no dia 11, esse aperfeiçoamento envolveu 20 árbitros da regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Entre os temas abordados, estão liderança, atitude e a evolução das regras do futebol. Ainda em julho, foi iniciada a série “Papo Olímpico”. E o primeiro entrevistado foi o mineiro Sandro Meira Ricci, integrante do quadro da Fifa desde 2011.

Em agosto, a Confederação Brasileira de Futebol adotaria algumas medidas que visam ao aperfeiçoamento da arbitragem do Campeonato Brasileiro das Séries A e B. Foram anunciadas ainda a arbitragem brasileira na Copa do Mundo Sub-17 Feminina por duas árbitras: Regildênia Holanda de Moura e Tatiane Sacilotti. Também em agosto, o brasileiro Wilson Luiz Seneme foi anunciado como o novo presidente da Comissão de Arbitragem da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). No fim de agosto, o Comitê Independente de Arbitragem, criado recentemente para avaliar o desempenho de cada um dos árbitros que atuam no Brasileirão, apresentou as primeiras avaliações.

No mês de setembro, um grupo de árbitros e assistentes, homens e mulheres, participaram do Curso RAP para Árbitros de Elite. Na cidade de Jundiaí (SP) eles já estavam no local onde seriam submetidos à série de testes físicos que os habilitaria a continuar atuando em partidas de competições internacionais e da CBF. No fim do mês, foi anunciada a nova Comissão de Arbitragem, que passou a ser presidida por Marcos Cabral Marinho de Moura, tendo como vice-presidente Alício Pena Júnior. Também fazem parte da Comissão os ex-árbitros Cláudio Cerdeira e Ana Paula Oliveira. Sérgio Corrêa deixa a Comissão de Arbitragem para assumir a coordenação do Projeto de Desenvolvimento e Implementação do Árbitro de Vídeo. Entre os dias 11 e 22 de setembro, a Escola Nacional de Arbitragem do Futebol realizou quatro ciclos de atividades de aprimoramento e qualificação para instrutores, árbitros e árbitros-assistentes. Foram eles o curso para instrutores físicos e técnicos de árbitros de futebol, curso para analistas de desempenho da arbitragem e os cursos RAP-FIFA para árbitros promissores e de elite. As atividades foram realizadas no Oscar Inn Eco Resort, em Águas de Lindoia, interior de São Paulo.

Em outubro, a CBF, em parceria com a Fifa, realizou o curso Rap para árbitras brasileiras em Águas de Lindoia (SP). Pela primeira vez, as árbitras e assistentes Fifa, aspirantes e do quadro nacional foram sendo treinadas por instrutoras mulheres, Ana Paula Oliveira, da Comissão de Arbitragem, Marta Magalhães, psicóloga, Tânia Saldanha, instrutora técnica, Erica Kraus, instrutora técnica, e Roseane Amorim, instrutora física – as cinco participaram do Curso Rap para instrutores no mês passado. Ainda em outubro, o projeto do árbitro de vídeo, criado pela CBF e incorporado pelo International Football Association Board (IFAB), passou por mais uma bateria de testes práticos, entre os dias 26 e 28 do mês, em Zurique, na Suíça. O diretor da Escola Nacional de Árbitros de Futebol (ENAF), Manoel Serapião, foi o representante da CBF no workshop.

No mês de novembro, a Comissão de Arbitragem se reuniu para fazer um balanço sobre a arbitragem nesta temporada e planejar os próximos anos. Com a presença do presidente da Comissão, Marcos Marinho, foram debatidos critérios para o aproveitamento dos árbitros nas competições organizadas pela CBF nas temporadas de 2017 e 2018. Entre as pautas, estiveram medidas para cruzar dados e informações sobre os árbitros e os assistentes. Logo em seguida, a Comissão de Árbitros da Conmebol definiu o quadro de arbitragem da Taça Libertadores da América Feminina, que aconteceu entre os dias 6 e 20 de dezembro, no Uruguai, na cidade de Colônia. Ainda em novembro, a árbitra brasileira Rejane Caetano da Silva, aspirante ao quadro da Fifa, foi convidada pela Comissão de Árbitros da Conmebol a participar de curso teórico-prático realizado em Montevideo, no Uruguai, no início de dezembro.

Em dezembro, a Conmebol divulgou a lista de árbitros e assistentes convocados para o Sul-Americano Sub-20, que será realizado em janeiro de 2017, no Equador. O gaúcho Anderson Daronco e os auxiliares Rodrigo Correa e Guilherme Dias Camilo serão os representantes do Brasil na arbitragem da competição. No mesmo mês, na cerimônia de encerramento do Campeonato Brasileiro 2016, a Comissão de Arbitragem da CBF divulgou o ranking dos melhores trios que atuaram nas séries A e B do Campeonato Brasileiro. No topo da lista, estão o árbitro Raphael Claus e os auxiliares Marcelo Van Gasse e Rogério Pablos Zanardo.

O presidente da Comissão, Marcos Marinho, fez um balanço da temporada da arbitragem. Ele fez questão de destacar a busca pelo aprimoramento da técnica e melhoria na condição de trabalho dos profissionais.

– É importante falar do que fizemos com relação aos aprimoramentos, trabalho com árbitros promissores… É bom colocar isso para mostrar que a Comissão de Arbitragem e a CBF estão sempre preocupadas em melhorar a qualidade da arbitragem no Brasil. Nas competições, acho que tivemos altos e baixos. Estamos já nos preparando para 2017, analisando as nossas falhas, reforçando o que foi positivo, e é importante ver onde há necessidade de fazer alguns reparos – destacou. Com site da CBF

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm