Banner Águas de Pará de Minas   Prefeitura de Pará de Minas

Congresso reúne especialistas no Brasil para debater proteção dos oceanos

Martine Perret/ONU Meio Ambiente

A proteção dos oceanos vai ser um dos temas de discussões de especialistas, que se reúnem desde ontem (31) até quinta-feira (2) no 9º Congresso Brasileiro de Conservação (CBUC), em Florianópolis (SC), um dos mais importantes da América Latina. O objetivo é definir e consolidar as estratégias envolvendo sociedade civil, acadêmicos e integrantes dos governos federal e estaduais.

Com o tema Futuros Possíveis: Economia e Natureza, o congresso debaterá o cenário econômico atual e futuro e a conservação da natureza. Os organizadores querem mostrar que é possível ter desenvolvimento socioeconômico aliado à conservação de áreas naturais, como também pode ser potencializado e estimulado.

A expectativa dos organizadores é analisar a questão oceânica e o grande potencial de ecoturismo. Na discussão sobre oceanos, a proposta é levantar alternativas integradas de conservação. Para especialistas, a definição de áreas protegidas é insuficiente, pois é preciso garantir estrutura, equipes e equipamentos para que a gestão seja mais adequada.

Sugestões
Haverá também espaço para apresentação de moções e sugestões que serão encaminhadas para autoridades públicas, segundo os organizadores. Será o momento destinado aos debates e definição de propostas e acompanhamento das ações destinadas à sociedade como um todo.

A cidade de Florianópolis foi escolhida para sediar o congresso, porque de acordo com os organizadores, reúne ecossistemas relevantes e unidades de conservação terrestres que precisam ser implementadas.

Debates
Nesta terça-feira (31), uma as palestras será do ministro Herman Benjamin, do Superior Tribunal de Justiça. O CBUC ocorre há mais de duas décadas e é considerado um dos mais importantes da América Latina. A organização é da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

O coordenador de Ciência e Conservação da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, Emerson Oliveira, disse que, apesar dos avanços nos últimos anos, é preciso ampliar as formas de atender às demandas da sociedade e dar mais atenção a temas correlatos, como saúde, a educação, moradia e segurança.

Emerson Oliveira destacou que o Brasil também avançou nos acordos internacionais, dos quais é signatário entre eles os climáticos e os de biodiversidade biológica. Lembrou que ocorreram no Brasil a Rio 92 e a Rio+20. Porém, alertou que a Amazônia ainda é motivo de preocupação por exigir mais atenção e proteção.

Ecoturismo
Para Emerson Oliveira, a falta de recursos impacta também no setor do ecoturismo, que poderia gerar divisas e movimentar a economia brasileira. Segundo ele, os parques nacionais são “as meninas dos olhos” das unidades de conservação e têm como objetivo a visitação pública.

“A gente tem alguns grandes exponentes do Brasil, como Fernando de Noronha [PE], o Parque Nacional da Tijuca [RJ], o Parque Nacional do Iguaçu [PR] são exemplos de várias unidades que poderiam ser mais trabalhadas”, disse. “O visitante internacional que preza por conhecer e compreender os ecossistemas, gosta de estar na natureza, mas gosta de conforto e de ser bem recebido ter um bom hotel e uma boa estrutura de recepção.” Com Agência Brasil

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm